Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Vamos lá pegar neste assunto de frente

Pedi nova avaliação física no ginásio que frequento e levei com uma chapadona à Stalone que até se me vieram as lágrimas aos olhos (exagero, tá? A chapada doeu, mas já era esperada).

Desde julho de 2016 que vou ao ginásio. Comecei com duas vezes por semana, depois três e agora dou comigo lá enfiada entre 4 a 5 vezes por semana.

 Em (quase) dois anos temos:

 

* Boa disposição (sim já tinha, mas melhorei)

* Melhoria na destreza e capacidade em tarefas do dia a dia 

* Superação pessoal 

* Criatividade (também já tinha, facto, mas é inegável a contribuição do exercício físico para a coisa)

* Aumento de energia 

* Aumento de resistência física 

* Diminuição da timidez

* Mais leveza de espírito e relativazação de problemas - ao pé de 20 flexões de completas, ignorar a maledicência e mesquinhez são peanuts

 * perda de volume

* alguma tonificação muscular

 

Porque vos disse isto? Porque é sempre bom começar pela positividade, ver o copo meio cheio, estão a ver? Ora portanto, como eu disse (e bem!), aquilo que descrevi é o que mais pesa na minha balança e só isso leva-me a não desistir e querer mais. 

Sou alminha curiosa, tenho os bichinhos do "e se" e dos "porquês" bem entranhados, portanto gosto de saber mais. Se não me importasse com o resto e isto me bastasse não teria pedido nova avaliação física, não é verdade? Resultado:

 

Massa Gorda: 30% (mais 6% que em julho do ano passado)

Massa Muscular: 29% (menos 4%, na mesma data)

Peso: 59.200kg

 

Eu sabia que a avaria momentânea da balança, antes de lhe subir para cima, era um mau agoiro. Bolas, que grande estaladão! Ainda por cima, começo por saber o peso ( + quase 2kg a mais da última vez) e bateu-me uma esperança de aumento de musculatura, afinal era só mesmo unto. 

"Como é possível?  Passas a vida lá metida..." 

Alimentação minha gente, alimentação. Os resultados de ontem, não são fruto de dois ou três meses a comer de forma equilibrada e mais saudável, são consequência de um ano (e o que está para trás) a "treinar para comer" e o "eu queimo, eu posso", em vez do equilíbrio. Muitas natas com café, muita massa ao almoço, muita bolachinha ao lanche e dá nisto: uma gaja que até cabe num 36, mas que deixa um rasto de banha por onde passa. Aquilo a que vulgarmente se chama "falsa magra" - mas é só nisto, ok? No resto digo sempre a verdade. :P 

 A minha cara de desânimo terá sido de tal ordem que aquela malta tomou logo conta da ocorrência: 

- Agora não vale a pena desmoralizar. É mudar o que há a mudar, treinar mais e melhor e seguir em frente. - diz um. 

 

- Devias passar pela nossa nutricionista. - diz outra.

 

- Dia 23 às 12:30. - remata a terceira. 

 

Mas assim? Já? Amanhã? Sem ter tempo de digerir o assunto? Bom, que seja. 

Como não podia deixar de ser fiz a piada fácil: 

 

- Agora temos que ter cuidado com as cargas, estou fraquinha de musculatura. 

 

E levei como resposta:

 

- Por isso mesmo é que temos de rever isso. Há aí muita gordura a derreter. 

 

Adoro malta que sabe ler nas entrelinhas do que eu digo. ;) Ginásios há muitos, com gente dentro há poucos. E a minha gente é do melhor - mesmo que sinta que assinei com o acordo com o diabo e que ainda lhe agradeço. 

Ah, esquecia-me do detalhe: pedi novo plano de treino, não só para melhorar as massas (até porque aí é uma questão mais alimentar do que física, digo eu) mas para trabalhar equilíbrio, postura e força abdominal - os meus calcanhares de Aquiles - e comprometo-me a fazê-lo, no mínimo, uma vez por semana - curto bués as aulas e não as troco, lamento. 

Modos que é isto: comi que me fartei, paguei o preço e estou disposta a inverter o peso na balança. 

Desejem-me sorte, sim? 

 

 

4 comentários

Comentar post