Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Atletas Anónimos - Pedro

38819578_217036845820721_7242248827464318976_n (1)

 

 

Há já muito tempo que não convidava ninguém para duas de letras, não é verdade? Para hoje, convenci o Pedro a conversar um bocadinho sobre desporto e exercício - e sabe deus o quão caro vou pagar por isto. 

Não se iludam pelo aspecto juvenil e inofensivo: em menos de três segundos desfaz-vos os pulmões e deixa o vosso sistema músculo-esquelético reduzido a cinzas, sem dó nem piedade. 

Viu mais Festivais da Eurovisão do que os anos que tem de vida e se lhe perguntarem quem foi o vencedor em 1992 é menino para acertar sem hesitar, mas não sem antes vos "pedir" gentilmente cinco séries de bíceps à coelhinho. 

Ora prestem lá atenção ao que o rapaz tem para dizer: 

 

 

 

 

 

Pedro, jovem, larga aí os halteres de 27.5kg e senta-te aqui um bocadinho. Vou ser breve e indolor, prometo. 

Comecemos pelo princípio: há quanto tempo te dedicas ao desporto?

O desporto apareceu desde cedo na minha vida, comecei por observar vários jogos de futebol quando ainda mal sabia caminhar e o resto fez parte do meu crescimento: comecei no andebol aos 8 anos, mas foi o bichinho do futebol que me levou do pavilhão para o relvado! Foram 14 anos que terminaram agora.

Quanto ao resto do desporto: entrei no 10º ano já com a ideia de entrar em desporto na universidade. Relativamente ao ginásio/fitness: sou apaixonado pelo culto do corpo, pela capacidade de superação constante, pela transcendência.

Dedico-me de corpo e alma ao desporto desde os 8 anos de idade.

E quando decidiste que querias fazer disto vida?

Acho que o que mais me influenciou na escolha foram os bons exemplos dos meus professores de Educação Fisíca: a postura, a alegria no trabalho, as roupas bonitas do fitness, os carros desportivos, os corpos trabalhados, tudo isso fez me querer ser igual a eles!

Agora quero tornar-me a Cátia*, na versão masculina.

 (Provalmente só a malta do ginásio vai perceber esta referência. Quem vai lendo regularmente, também. ;) )

ME-DO! No entanto - e dada minha vasta experiência em matéria de coças e tareias fit's - posso afiançar-te: estás no bom caminho. ;)

No nosso lado, o dos alunos, é quase tudo difícil e inatingível levando-nos a ficar facilmente frustrados por não conseguirmos concretizar um exercício ou atingir um objectivo. De que forma tentas lidar com essa frustração?

Antes de isso acontecer, tento antecipar e evitar esse estado: tento arranjar exercícios que os alunos possam e consigam realizar, porque considero que os objectivos de cada aluno devem ser pensados e idealizados para no fim serem alcançados. Quando tal não acontece, tento adaptar os exercícios para os alunos conseguirem fazer. Acho também que a capacidade de comunicar e tentar explicar o porquê de certos "fracassos" ajudam as pessoas a lidar melhor com a "derrota".

Já falei sobre o antes e o depois do exercício, contudo também durante o exercício penso que os estímulos que emito são muito importantes: o elogio, as pequenas correcções, o olhar, a sinalética do "fixe", o falar mais alto, tudo isso contribuí para que o aluno dê o seu melhor.

A melhor maneira de lidar com a frustração é desvalorizá-la, já que será sempre momentânea, valorizando com reforço positivo os eixos, para que desta forma os alunos começaram a olhar para a frustração como momentos de aprendizagem.

 

Por vezes ensinar alguém a praticar exercício pode ser verdadeiramente frustrante (digo eu que há dois anos que tento e ainda não aprendi praticamente nada) não só para o aluno, como já referi, mas também para o professor, certo? O que mais te irrita durante um treino, no aluno? 

O que mais me irrita no treino curiosamente, não é o facto de as pessoas não conseguirem fazer os exercícios, pois considero que não são obrigadas a saber fazer bem. O que mais me irrita é o uso da expressão "eu não consigo fazer"/"não vou fazer", antes sequer de ter experimentado! Este problema advém do pensamento e do modo de pensar a vida, que para mim diverge daquilo que adopto: pensamento forte, indestrutível, que sou capaz, que consigo e que luto para atingir o céu!

Culpada! Ups. Sorry. 

Imagina lá agora que o fitness é um gelado. Qual é o teu sabor favorito?

Pergunta difícil...

Acho que estou numa crise existencial de meia idade.

Contudo, acho que o meu "gelado" favorito é a musculação! Sou apaixonado por aquilo... Adoro ajudar as pessoas a atingirem os seus objectivos, ajudar em pequenas coisas, pequenas correcções.

As aulas de grupo completam-me e são o momento de libertação total, estou ali focado só naquilo e tento transmitir os meus sentimentos para os alunos, fazê-los sentir a minha energia!

Se pudesse fazer o meu "gelado favorito" seria: base de "sabor" a musculação com umas pepitas de cada outro "sabor". É para isso que luto todos os dias! 

 

38693339_305323416700657_462898789045239808_n (2).

 

Ter 24 anos e liderar aulas com malta de várias idades não deve ser pêra doce. Qual foi, para ti que és ainda jovem e mais ainda nesta área, o maior desafio profissional?

Nas aulas de grupo e na sala de musculação o modo como lidas com as diferentes faixas etárias é fundamental para conseguir abranger, de forma completa, as necessidades de todas elas. Mais "brincadeira" com os mais novos, mais "seriedade" com os adultos jovens e mais "educação" com "fofura/respeito" com os mais idosos. Acho que com este equilíbrio tudo se consegue, independentemente da idade cronológica, já que tenho como lema: "a idade é apenas um número".

O maior desafio que já senti - e espero sentir até ao fim -  é transmitir a minha evolução e o meu trabalho bem feito aos alunos. O meu objectivo é mostrar o meu trabalho e esperar que eles o apreciem, desfrutem e idolatrem. Quero ter um crescimento constante ao longo da minha carreira.

 

Oh, isso percebeu-se no zumba... Não é qualquer professor que se dispõe a aprender e mais: a fazer coisas que gosta menos perante os alunos.

Falaste atrás sobre o futebol, revelando uma grande paixão pela modalidade. Queres falar-nos um bocadinho sobre a tua época aurea no futebol?

Eu adoro desafios, não nego nenhum! E… Até gostei do zumba.

A minha época áurea no futebol aconteceu com 16/17 anos, altura em que levava o futebol muito a sério e era o meu único foco. Treinava como um animal: deitava-me cedo antes de treinos e jogos, alimentava-me decentemente e tentava ser o mais profissional possível. Jogava no clube da minha terra, SC "Os Dragões Sandinenses, era capitão de equipa e tinha muitas responsabilidades dentro do grupo de trabalho.

A nível colectivo ficamos num honroso 3º lugar e a nível individual marquei 46 golos ao longo da época (a minha posição era avançado, sendo esta a minha melhor marca). Após essa excelente época fui convidado para jogar no Salgueiros, onde fui campeão, sendo este o melhor ano a nível colectivo, pois nunca tinha conseguido conquistar nada. Após esse ano, aconteceu a subida a sénior e regressei ao meu clube base, onde passei 5 excelentes anos que terminaram agora. Nestes 5 anos percebi que acontecem muitas coisas no futebol que não são desporto, que não basta treinares bem e jogares bem - existem muitos factores externos, muitos interesses pessoais que mancham o desporto. Por isso, o meu interesse e foco no desporto de competição, nomeadamente o Futebol, foi-se desvanecendo.

 

Chiça! Caramba, 46 golos é espectacular! Digo eu que em a minha vida só marquei um e foi autogolo.

Esses 46 golos ainda são recorde no clube!

 

Apesar de teres começado a trabalha há pouco tempo, e de estares praticamente em inicio de carreira há alguma situação que te tenha marcado?

Aspecto positivo? Marcou-me ter tido uma aula de circuito às 20h30 em que os alunos não puderam tirar mais senhas porque atingi o limite estabelecido.

 

Uau! E aposto que pederiam por mais. ;)

Por fim, gostaria que definisses o teu trabalho, a tua paixão pelo desporto, numa só palavra.

 

A palavra que mais resume a minha paixão e o meu trabalho talvez seja dedicação - primeiro porque adoro o que faço e segundo porque quero ser melhor a cada dia que passa. Não tenho limites e só com dedicação constante ao que faço posso transcender-me. 

 

38872897_272291736695618_184868702523490304_n (1).

 

Obriagada jovem Pedro! Foi um gosto ter-te por cá e continuo a achar que deverias considerar seriamente abrir um blogue. ;) 

Vai andando, vai andando que eu já vou lá ter. Sê gentil, por favor. 

 

 

Atletas Anónimos - A Maria

 

Foto de Maria Canha.

 

 A Maria, nutricionista de profissão, é uma inspiração no que toca à actividade física.

Abrir o seu Instagram é como accionar um mecanismo de Pavlov carrregado de adrenalina e ficamos logo com vontade de calçar as sapatilhas e enfiar o esqueleto no ginásio. 

Não lhe bastando o treino de "manutenção", a Maria é culturista, participando várias vezes no Bikini Fitness, onde arrecadou o 3º lugar na sua categoria, em 2017.

Uma autêntica bomba que podem conhecer um bocadinho mais a fundo na conversa que se segue. 

 

 

 

Bem-vinda ao meu humilde tasquinho Maria. Quem te vê pelas redes sociais, percebe que dedicas grande parte do teu tempo ao treino. Já o fazes há muito tempo?

 

Comecei a treinar ginásio (musculação vá, que aulas de grupo sempre fiz) no último ano da faculdade. Em 2012 (que velha!!!) porque tinha conhecido, no Algarve um casal de culturistas que me inspirou! e apaixonei-me pelo estilo de vida. Achei que era fantástico um desporto em que o resultado final acabamos por ser "nós"!

 

Levas a coisa um bocadinho a sério e inclusivamente participas em provas de culturismo. Consegues dar-nos umas luzes do que é avaliado ou testado numa prova dessas?

 

Ora bem então a resposta a essa pergunta é fácil... TUDO é avaliado desde o bikini, à quantidade de massa muscular (não pode ser demasiada mas também não pode ser "pouca"), maquilhagem, pintura (sim, a tonalidade do corpo não é solário, nem natural!), o desfile, as poses, a forma de estar em palco…

E a definição muscular, não? Ou é apenas uma benesse dos treinos?

Sim, sim! A definição também é avaliada! É preciso saber equilibrar muito bem o grau para não ser em demasia nem ser "em falta".

 

Sei que vai parecer parvo, mas... Como é que vocês sabem qual a proporção ideal de definição?

 

Não é nada parvo! Na realidade até faz sentido a pergunta. Não há é uma resposta taxativa. É o que fica esteticamente bem. Por definição "Os grupos musculares devem ter uma beleza natural e firme, com baixa percentagem de gordura e sem volume muscular. A beleza deve ser realçada em todos os momentos."

 

Hmmm... Tinha uma ideia errada do culturismo, achava que o objectivo era “crescer” ao máximo o tecido muscular.

 

Muita gente tem!

Depende muito da categoria! Na minha (bikini fitness), a demasiada massa muscular acaba por ser um factor que prejudica, já que o objectivo é apresentar um corpo harmonioso.

 

 

 

maria canha.jpg

  

Estou a perceber... 

Para conseguir a definição que precisas, deves a vida a treinar, literalmente. Quanto do seu tempo é dedicado aos treinos? E, pergunta pertinente, gostas efectivamente de exercício?

 

Essa parte depende do macrociclo competitivo, ou seja: se estiver a quase a chegar a altura de uma prova (mais ou menos 1 mês e meio antes) começo a fazer o cardio e aí demoro cerca de 1h45 a treinar (siiim é muito :P) mas no resto do tempo demoro, no máximo, 1h15!

Entendo a pergunta, porque para muita gente, treinar fechada num ginásio é um sacrifício. Para mim, é o melhor tipo de desporto! Amo! Amo o tempo que tenho para mim, sentir cada repetição. A música faz toda a diferença no processo. Não foi sempre assim, no início não tinha esta paixão toda, claro! Mas depois de começarmos a ver resultados é bem mais fácil!

E, não sendo hipócrita, nem sempre apetece treinar! Daí ser importante criar o hábito.

 

Bem sei que já é do conhecimento praticamente geral, mas nunca é demais: qual é, verdadeiramente, a importância da alimentação para aquela pessoa que treina de forma rotineira?

 

A alimentação é a base de tudo! Vejo todos os dias pessoas que treinam há anos e estão exactamente iguais. Isso não tem nada de errado, se o objectivo delas for ir para o ginásio para descomprimir ou fazer amigos. Agora, se o objectivo passar por perda de peso/aumento de massa muscular/saúde temos de ter sempre em atenção o que comer antes do treino (na maioria das vezes, preferência hidratos de carbono de absorção lenta e alguma proteína) e após o treino (regra geral, proteína e HC de absorção rápida!).

 

Sendo culturista (é este o nome?), não sentes que ao fim de algum tempo a musculação acaba por ser "mais do mesmo"? Não se torna entediante?

 

Entendo bem a pergunta! Mas realmente acho que se aplica o "quem corre por gosto não cansa!"

Eu adoro treinar com ferro!

 

Já eu... Adorooooooo cardio, tem que haver doidos para tudo. :P

Num mundo maioritariamente masculino, não sentes dificuldade acrescida por ser mulher? Ou é algo que (já não) se aplica tanto no culturismo?

 

Hmm… Pois! Já não é um mundo tão masculino assim!

 

Fantástico não sentires discriminação, já cá tive outra menina que lamentou isso, o que torna a coisa mais difícil. 

Por fim, queria que descrevesses o desporto numa só palavra e justificasses a escolha.

 

 

M- Superação: consigo atingir coisas que nunca achei possível (mesmo de prova para prova, quando acabei de o fazer); consigo surpreender-me a mim própria; é um desporto que nos leva a superar a barreira mesmo quando achamos que já não dá mais!

 

maria canha2.jpg

 

 

Obrigada Maria, pela disponibilidade para esta conversa e interminável paciência... 

Podem seguir o seu Instagram e botar os olhinhos em malta valente, conhecer mais sobre este mundo de quem compete e do seu trabalho em nutrição. Os mais malucos, podem sempre retirar algumas ideias para uns treininhos. Não que eu já o tenha feito, entenda-se. 

Atletas Anónimos - o Nuno

Nuno5_edit.jpg

 

 

 

Cumprimenta-nos sempre com um "cá mais cinco!", trata-nos por atletas e devolve-nos sempre o sorriso à saída. Não se deixem enganar pelo ar simpático, duas de letra, meia dúzia de abdominais e uns agachamentos e encosta-nos às boxes em três tempos. 

Está sempre disponível para ajudar, tem uma imaginação do caraças para elaborar os desafios semanais e dá treino personalizado. 

Hoje, no tasco, o Nuno. Professor no ginásio que frequento e que tantas voltas me dá à cabeça com o quadro dos desafios. (E eu a dar uma de Daniel Oliveira, hã? :D)

 

 

 

 

 

Nuno, jovem, larga aí o bosu e senta-te aqui comigo. Conta-me cá: já te dedicas há muito tempo ao desporto?

 

Desde miúdo que gostei sempre de praticar desporto. As brincadeiras passavam também muito por jogos em que a actividade física estava inerente. O primeiro foi natação, para aprender a nadar, depois passei pelo hóquei, futebol, atletismo...

 

E sempre soubeste que querias fazer disto vida ou foi algo que foi surgindo?

 

Sempre gostei de Deporto, mas não achava que ia fazer disto vida... Durante o secundário tive muitas dúvidas, porque também era bom com os números, mas depois decidi que era "ensinar desporto" que queria. E tirei a licenciatura em Desporto e Mestrado em Ensino da Educação física.

 

Nós, alunos, dizemos que vocês são do demo, que saíram dos confins dos infernos só para nos fazer sofrer... Mas, não é bem assim. Também há o outro lado. Fala me um bocadinho dele, qual é, para ti, a parte mais difícil de ensinar desporto?

 

Ahahaha nós não temos prazer em fazer "sofrer" ninguém, mas para um bom despendido energético e para atingir alguns objectivos temos de nos esforçar, assim como fazemos para outras coisas.

Como deves ter percebido, a minha principal formação não foi em Fitness, mas sim em ensino. Só há dois anos decidi que iria ter mais oportunidades nesta área e tirei uma formação em treino funcional para PT.

Respondendo mais precisamente à tua questão: o mais difícil de ensinar é perceber que tipo de pessoas temos à nossa frente para sabermos a melhor forma de incutir o conhecimento ou movimento.

 

O que mais te irrita enquanto professor durante um treino? 

 

Como é uma coisa que adoro, pouca coisa me irrita... Mas talvez o facto da pessoa não querer aprender.

 

E o não perceber o exercício de todo? O ter de explicar uma e outra vez? (Como tanta vez acontece...)

 

Não me irrita minimamente... Todos nós temos os nossos handicaps, e nem todos fomos feitos para ser atletas. Se tiver que explicar várias vezes e de várias formas não terei problemas com isso.

 

Há bocado mencionaste que a tua área é o ensino e não o fitness. Afinal, o que diferencia a educação física do fitness? Não me digas que o fitness é mais duro... A aulas de educação física também eram tramadas. 

 

A educação física foi criada para se ensinar principalmente nas escolas às crianças. São abordados vários desportos colectivos e individuais

Enquanto que o Fitness é uma forma de as pessoas poderem fazer actividade física de uma forma mais prática e eficaz para os seus objectivos... Ambas têm como principal objectivo a promoção dos hábitos de vida saudável

 

Enquanto PT, tens uma trabalho mais meticuloso do que, por exemplo, um professor de aulas de grupo. Ou não?

 

Sim e não...

Usando a palavra que usaste, um professor de aulas de grupo tem de ser mais "meticuloso" com a sua execução (a sua própria performance) enquanto que um PT tem de ser mais exigente com a execução do seu aluno.

Respondendo à segunda pergunta, um treino personalizado é realizado com base nas patologias e objectivos dos alunos, em que o PT consegue que a pessoa faça com maior rigor e intensidade... Mas não é só este treino que faz toda a diferença.

 

Nuno6_edit.jpg

 

Então? Já sei, já sei... Vais falar em calorias, certo? 

 

 Não, não! Não tem nada a haver com isso...

O trabalho de um bom PT é muito mais do que dar um bom treino.

Para eu ter a certeza que o meu cliente vai atingir o seu objectivo, preciso de saber se anda a comer bem, se faz a aula de grupo devia fazer, se faz o trabalho complementar na sala de musculação, se anda a descansar o que deve... Se não conseguir controlar estas coisas, quase de certeza que não conseguirá chegar onde quer.

Por exemplo, ainda hoje liguei a um cliente que faltou a uma aula de grupo que lhe tinha recomendado, para saber se estava tudo bem e quando vai compensar isso.

Preciso também de saber se a pessoa está bem. Se andar deprimida ou com algum problema, pode não render no treino e descarregar na comida.

 

Portanto, o trabalho de PT é um complemento, é isso?

 

O trabalho ou o treino de PT?

 

Estou confusa... Não é a mesma coisa? O trabalho e o treino de PT?

 

O treino de PT é aquilo que toda a gente gente vê... Mas com um cliente eu tenho mais "trabalho" do que esse treino. Tenho de controlar toda a semana dele no que diz respeito a hábitos de vida saudável. Ex: se faz as refeições que deve, se descansa as horas devidas, a mudança constante de plano de treino se treinar na sala sozinho, saber sempre se o cliente fica com alguma dor que não é normal, saber se o cliente está com algum problema, porque se tiver vai começar a faltar aos treinos, vai desmotivar, vai facilitar na comida.... Traço também planos de treino quando alguns clientes vão de férias ou eu vou de férias...

 

Portanto, esse treino, com PT, é um complemento ao restante... 

 

Não diria um completo, mas sim uma parte do trabalho semanal que só fará sentido se tudo o resto que te falei funcionar.

 

Imagino que, enquanto PT, tenhas de lidar várias vezes com a frustração. O não conseguir determinado objectivo ou a execução de um exercício. De que forma tentas ajudar a contorna-las?

Cada pessoa tem as suas particularidades e não funcionamos todos da mesma forma. Daí nem sempre os resultados são os mais esperados. Quando isso ocorre, preciso de rapidamente encontrar o problema e uma solução para não fugir das metas traçadas inicialmente.

 

Trabalhas nisto há um tempinho, lidas com muita gente... Há alguma situação peculiar que te tenha marcado?

 

Todos os clientes me marcaram, porque acabo por entrar na vida deles... Mas existiram algumas situações mais peculiares. Posso te dar dois exemplos:

- Tive um senhor, noutro ginásio, com os seus 70 anos, que tem um tumor na cabeça e tem de estar sempre vigiado. Era um pouco sisudo e durante um treino confessou-me que tinha saudades de jogar squash.... Fui para casa a pensar naquilo. No treino seguinte, montei um campo de squash numa sala de aula de grupo e levei raquetes para jogar. Nunca tinha visto o senhor a sorrir tanto! E sempre que passava por mim sorria dessa forma porque se lembrava dessa hora. Ainda hoje tenho o vídeo desse treino.

- Houve uma outra senhora que descobri não saber andar de bicicleta e não descansei enquanto não a ensinei...

E depois há várias outras pessoas, que têm várias patologias e tenho de ter muita atenção à prescrição e correcção dos exercícios.

 

nuno4_edit.jpg

 

 

Já deu para perceber que gostas mesmo do que fazes, Nuno. Se pudesses descrever o teu trabalho (ou o desporto, se preferires) numa só palavra, qual usarias?

 

Sonhos... Uma das pessoas responsáveis pela minha formação, disse-me uma vez que uma das nossas funções é realizar sonhos. E por vezes sinto que faço isso.

 

De certeza que sim Nuno! E aposto que marcas todos aqueles que contigo se cruzaram. Quase - mas só quase - que me conseguiste convencer a marcar um treino contigo. Felizmente que ainda tenho algum juízo. :P 

 

 

Atletas Anónimos - A Di

Há umas semanas, fui surpreendida por um post, na grupeta do ginásio, que referia uma perda de 4% de massa gorda num mês. Não conhecia a cachopa, de parte alguma, mas este feito merecia mais destaque. Quanto mais não seja num blogue pequenino e altamente parvo. :P 

Tendo o "não" como garantido, meti conversa com a Di que, mesmo não me conhecendo de parte alguma, foi uma simpatia e me concedeu esta bem humorada entrevista. 

Ora atentem lá: 

Di, conta cá a nós, há quanto tempo práticas desporto de forma regular?

Sempre fui uma desportista, já desde que nasci.

Não, podia ser verdade, mas não. :D Na minha adolescência já frequentei um ginásio durante um ano, mas depois, por alguns motivos, acabei por deixar de o frequentar. Tendo em conta o meu trabalho neste momento e a minha situação física - que era muito má - decidi que tinha de voltar ao exercício a sério. Fazia algumas caminhadas, mas não era o suficiente. Em março inscrevi me no nosso ginásio, mas comecei a treinar bem mais a sério em Abril. Tinha - e ainda tenho - muita massa gorda para perder.

 

Ui...

Só em Março?!

Caramba, e perdes logo assim 4% de massa gorda?! Uau! 

 

Sim, comecei a treinar a sério em Abril e nos finais desse mês, se não estou em erro, comecei a ter aulas de PT. Tenho duas meias horas por semana e nos restantes dos dias vou fazendo o treino normal. Quando me inscrevi no ginásio, já tinha ideia de ter aulas com PT, por isso quando fiz a avaliação física com o Nuno falei-lhe nisso e também achou que podia ser uma boa ideia para conseguir atingir o objectivo mais rápido. Ah, o objetivo é ganhar massa muscular e emagrecer! Quando entrei estava com 64kg e atualmente tenho 61kg, estou a perder massa gorda e a ganhar massa muscular.

Quando comecei a treinar o Nuno achava que eu era demasiado zen: fazia os exercícios devagar, sempre com muitas paragens... Na verdade ainda me estava a adaptar ao ginásio. Então aí, aconselhou-me a avançar com as aulas de PT e o ideal seria dois dias por semana durante meia hora e complementar com o plano de treino nos outros dias. Agora sim, com o PT é a doer e o Nuno tem sido excelente: sabe incentivar, puxa por mim quando é preciso, dá-me cabo da cabeça quando as coisas não estão bem, mas também motiva quando estamos num bom caminho.

 

Tenho que perguntar: como conseguiste perder 4% de massa gorda num mês? A mim parece-me imensooooo...

 

Sinceramente? Não sei. :D  Agora a sério, tive de mudar algumas coisas na minha alimentação: comia muito pão - foi uma das coisas que cortei, atualmente apenas como 1 integral a meio da manhã - cortei praticamente os hidratos ao jantar, não sou pessoa de comer muitos doces, mas agora ainda como muito menos. É treinar muito e beber muita água. O treino tem sido mesmo fundamental.

 

E dói.  O treino é fundamental e dói. :D

Mesmo tendo começado há pouco tempo, notas benefícios no teu dia a dia?

 

Dói e muito, há alturas em que acho que vou desfalecer! :D

Noto que já não estou tão "inchada", costumo usar saias e às vezes sentia que estavam mesmo justas e agora já não as sinto a "sufocar". Mesmo no meu dia a dia começo a aperceber-me que não me canso com tanta facilidade... Há uns tempos dava meia dúzia de passos e ficava logo a bufar. Agora ainda" bufo", mas já vou conseguindo aguentar. No entanto, sei que ainda tenho um longo caminho a percorrer e confesso que às vezes assusto-me, porque há alturas em que não sei se realmente vou conseguir atingir o objectivo combinado..

 

Qual é o objectivo combinado?

Espera, vou sentar me.

Já estou. Podes dizer.

 

É melhor... :P

55kg. Quando comecei creio que estava nos 64kg. Neste momento, dado que com o tempo quente tenho tendência a fazer retenção de líquidos e também porque temos "aquelas" alturas do mês e o meu corpo tem tendência a inchar, o meu peso anda entre os 61kg-62kg.

 

Nada mau, mesmo assim, para tão pouco tempo... ;)

Como inseriste o desporto na tua rotina? Foi um processo difícil?

 Há bastante tempo que sentia necessidade de fazer algo mais, as poucas caminhadas que fazia não eram suficientes. Ainda comprei um step e um equipamento que trabalha pernas, mas não notava muita diferença, precisava de algo mesmo a sério e tinha que ser um ginásio. Não foi um processo difícil, porque quando começamos a ver resultados, por mais pequenos que sejam, percebemos que fizemos a melhor escolha. No entanto, há dias em que não há vontade para ir ao ginásio... Ou porque sinto-me mais cansada ou não dormi muito nessa noite, há dias em que simplesmente não apetece, prefiro fazer outra coisa, mas tento sempre pensar que todo o esforço acaba sempre por compensar e no fim do treino penso sempre: ainda bem que vim, até passou rápido.É preciso sempre pensar positivo, às vezes não é fácil, mas tem valido muito a pena 

 

Wow?! Comprar um Step? Quem é que compra um Step?! Eu quando quis imitar o exercício num Step, usei as escadas! :D

 

Não resultou, claro.Já tinha feito step há uns anos atrás e gostava muito, mas em casa não era a mesma coisa.

 

Passaste a encarar o exercício com gosto, diria até prazer, mas isso estragar-me-ia já a reputação, ou mesmo já estando enraizado na rotina, continua a ser um "tem de ser"?

 

Cada vez vou gostando mais treinar, mas devo confessar que ainda continua a "ter de ser". Acho que enquanto não atingir o objectivo vai" ter de ser". Talvez daqui a uns bons e largos meses passe a praticar exercício como se já fosse uma coisa normal, mas para já ainda há momentos em que há falta de vontade e até desânimo... Sejamos sinceras: estou no ginásio porque tem mesmo de ser, provavelmente se não tivesse nenhum GRANDE objectivo pela frente seria mais fácil.

Mais fácil desistir?

 

Talvez... Mas se não tivesse nenhum objectivo e fosse para um ginásio, das duas uma: ou andava lá com muito gosto ou então baldava-me com mais frequência..

 

Ora aí está uma grande verdade. O compromisso só, às vezes, não chega.

Além do Grande Objetivo, há mais alguma coisa que gostasses de alcançar? Eu gostava de mexer melhor os braços, por exemplo. Sinto sempre que estou a segurar um monte de ovos.... 

 

Sim, quero melhorar a minha resistência. Às vezes ando a correr para apanhar o comboio e fico quase a desfalecer, às vezes sinto que tenho 100kg em cima... E as pernas! Preciso de exercitar as pernas! Às vezes, quando caminho com alguma pressa, sinto que estive a correr uma maratona! :D

 

Só para terminar, imagina que do outro lado do ecrã nos lê o preguiçoso dos preguiçosos enquanto enfarda alegremente um pacote de batatas fritas. Como o tentarias convencer a fazer desporto contigo?

  

Bem, isso é uma tarefa difícil... Digo isto porque ainda não consegui convencer o meu namorado e ele não é assim tão preguiçoso 
Se esse grande preguiçoso quiser continuar a encher-se de gorduras e açúcares, se quiser ter colesterol alto, diabetes, tensões altas, uns enfartes e perder anos de vida, está de certeza num bom caminho. Mas se preferir ter uma vida mais saudável, poder até continuar a comer de tudo, com moderação, evitar alguns problemas de saúde e ter muitos longos anos de boa saúde, então o melhor que tem a fazer é começar a praticar desporto, pois pode ter a certeza que vai notar grandes diferenças e ter um estilo de vida muito mais saudável. 
Todas as pessoas deviam fazer exercício físico, nem que seja uma caminhada/corrida durante meia hora todos os dias. O exercício físico é muito importante - e já nem falo por uma questão de estética! -  traz imensos benefícios para a saúde, até ajuda e muito a aliviar o stress naqueles dias mais complicados. Por isso, mesmo aquelas pessoas que não têm disponibilidade financeira para se inscreverem num ginásio, não têm desculpa para não treinar, umas caminhadas/corridas junto à praia ou até mesmo na rua onde vivem, praticarem algum desporto... Hoje em dia há muitas alternativas para quem de facto quer fazer alguma coisa pela vida e, essencialmente, pela saúde.

Como já diz o velho ditado "parar é morrer".

Atletas Anónimos - O António e a Maria João

 

Depois da Páscoa - e dos exageros - nada melhor que retomar (e intensificar) a atividade fisíca. Para que não vos falte motivação, convidei dois compinchas (dos valentes, hã?) para duas de letras. 

Um desafio, porque são dois ao mesmo tempo, que culminou numa conversa intimista e deliciosa. 

A vossa atenção à Maria João e ao António, por favor.

 

Agora que a Páscoa já terminou e estamos todos a precisar de malhar (de novo), contem-me lá: há quanto tempo começaram a fazer exercício e porque decidiram dar o primeiro passo?

MJ: Eu sempre fiz desporto, desde criança, apesar de sempre ter tido excesso de peso! Passei pela ginástica, depois pela natação, andebol e por fim inscrevi-me no ginásio, por volta dos 14 anos. Mas só há cerca de um ano é que estou no Madugym.

A: Eu sempre adorei e pratiquei desporto. Desde os 5 anos que joguei futebol federado. Até aos 18 nunca tive problemas de engordar. Depois, por culpa de trabalho e por ter deixado de praticar tão assiduamente, aumentei bastante o meu peso. Chegando a uma estupidez de 115kg.

Wowowowowow.... 115kg?! Tu?! Caramba...Como é que sempre praticando desporto, se deixa de ter tempo para ele?

A: Yap. 115!!! Emergência mesmo… No meu caso deixei por um tempo, mais tarde retomei a jogar futebol com os amigos ao fim de semana e comecei a praticar BTT. Às vezes era falta de tempo, ou falta de vontade e também desmotivação. 115 kg não são muito motivadores na prática de qualquer desporto.

Acredito... Até porque não tens o mesmo rendimento. Conseguiste perder quanto em quanto tempo?

A: Exactamente. Até que me "caiu a ficha": comecei a ter mais controlo na boca e comecei a dar mais uso à minha menina (bicicleta). Fazia controlo de peso todos os dias! Tinha objectivo de ter sempre menos, nem que fosse 50grms! Ao fim de ano e meio tinha menos 30kg, mas muito fraco em rendimento. Faltava pulmão e definir mais músculo.

Além da mais que notória perda de peso, notaram mais benefícios em fazer exercício regularmente?

A: Sim, notam-se bastantes diferenças em coisas que por vezes nem damos conta, como andar mais calmo, descansar melhor… A resistência aumenta bastante nas tarefas do dia a dia.

MJ: A primeira foi deixar de sentir falta de ar ao apertar as sapatilhas - que vergonha dizer isto com a minha idade! Agora a sério, ajudou em situações práticas do dia a dia como carregar os sacos das compras; ajudou a aumentar a motivação para deixar de fumar (não fazia muito sentido fazer exercício e depois mandar abaixo uns cigarros); melhorou a qualidade do sono; ajudou a diminuir a minha tendência depressiva; ajudou a aumentar a auto-estima, a descobrir capacidades que não sabia que tinha; promoveu o estabelecimento de laços de amizade (muito importantes de momento) e deixou o bichinho da superação a funcionar (porque acima de tudo eu compito comigo mesma e não com os outros) para tentar alcançar novas metas a cada dia.

Não fazia sentido nenhum (fumares) e ainda bem que deixaste. A propósito do bichinho da superação, ainda bem que falas nisso: entranhou logo ou ainda esteve em banho maria algum tempo?

MJ: Eu inscrevi-me no ginásio determinada a mudar o meu corpo. Uma vez que já tinha perdido tanto peso, estava na altura de complementar esse trabalho! No primeiro dia fiz 3 aulas: jump, power e cycle. Só agora, recentemente, soube que na passagem para a terceira, quando a Cátia me viu a tirar senha foi à Filipa dizer: “aquela miúda nova, a Maria João, fez jump e power e veio tirar senha para o cycle, não lhe vai dar o fanico?” Voltando ao que estava a dizer, eu entrei determinada e quando tive contacto com a Cátia pensei: "Quero ser como tu". Tornou-se como um ídolo para mim, aquela irmã mais velha que eu nunca tive ou algo do género... Mas por outro lado pensava: ela é uma força da natureza, eu nunca vou ter a energia dela! Portanto, acho que o bichinho da superação acordou no dia em que entrei e vi que tinha ali uma grande inspiração, alguém à altura para me ajudar a alcançar os objetivos! Mas, quando esse bichinho vinha, sentia as dores musculares que tu própria já conheces, ficava em coma e só pensava: isto não é para mim!

Tu és completamente doida!!! Três aulas seguidas?! TRÊS?! Quantos sacos de açúcar emborcaste? E mexias te no dia seguinte ou ficaste em estado vegetativo?

MJ: 3!!! Nenhum! Mexia, com alguma dificuldade as pernas, mas mexia. Tanto mexia que devo ter ido treinar no dia seguinte.

E a ti António, a febre do exercício pegou logo ou resististe até ao fim?

A: No meu caso não foi bem o resistir, até porque a menina Cátia não deixa. Mas a superação que a MJ fala também aconteceu comigo. Por exemplo: hoje tens 20kg na barra e estás no limite (julgas tu). No outro dia, ouves a Cátia a perguntar "que peso é esse?" E lá vão mais 5kg. Depois dás contigo a aumentar 10/12kg ao que pensavas ser o limite. Então pensas: afinal consigo isto e muito mais. Depois todo o ambiente que se formou no ginásio: o espírito de entre ajuda, os desafios que nos colocam, os amigos que fazemos, tudo isso faz com que queiras atingir objectivos para teu bem e também um pouco como forma de agradecimento por tudo o que fazem por ti e pelas pessoas que são. Neste momento não me via a estar parado sem fazer exercício.

Barra... 20kg...isso existe?! A última vez fiz com 10 e tive tantas saudades dos meus 7...(Sou uma fraquinha, eu sei.)

 Vocês são dois, a motivação para continuar e não faltar é a dobrar ou pelo contrário, é mais fácil ceder à preguiça?

MJ: Acho que é a dobrar! Há fases em que um anda mais motivado que o outro e acaba por arrastar o que está preguiçoso.

A: Exactamente. Assino por baixo a resposta da MJ.

Foi difícil, no início, inserir a rotina do exercício? De que forma o conseguem inserir na vossa vida?

A: Não achei muito complicado. Uma questão de adaptação e prioridades. Depois as amizades que fizemos, juntamente com o ambiente do ginásio faz com que nos sintamos bem e parece que estamos sempre à espera da hora de lá voltar.

MJ: Não foi difícil. Primeiro pela oferta de aulas do ginásio, depois porque como ambos somos sócios, acabamos por até ir juntos e não temos de abdicar de estarmos juntos para ir ao ginásio. Assim ninguém sente que é deixado para trás por causa dos treinos. E tal como o Tozé disse, como atualmente o nosso grupo de amigos passa um pouco por alguns outros sócios, quando marcamos convívios é depois do treino.

Neste tempo todo, já perderam os quilogramas que tinham estipulado?

MJ: Eu cheguei a perder peso a mais! Houve uma altura que cheguei aos 49,5kg e a coisa já estava a descambar, mas depois consegui encontrar um equilíbrio! Agora o que acontece é que já não me guio tanto pela balança, guio-me mais pela roupa. Porque a massa muscular é mais pesada que a gorda e uma pessoa às vezes pensa que está muito bem e se vai à balança desanima. Acima de tudo o importante é estarmos saudáveis e sentirmo-nos bem para podermos viver a vida! Em tempos já fui "escrava" do meu corpo: evitava certos sítios e certos convívios ou então ia e comia comida de grilo, enquanto os outros comiam francesinha. Mas a vida é muito curta para lhe colocarmos restrições que nos fazem infelizes. Como um dos maiores prazeres da vida para mim é estar à mesa com os amigos... Há que treinar para compensar!

A: Eu ainda não atingi o peso que pretendia. até pelo contrário cheguei a aumentar. Talvez pelo que a MJ diz em relação ao peso da massa muscular vs massa gorda. A realidade é mesmo essa: a roupa agora é que manda e não a balança.

E em termos de treino, algum objectivo estipulado para este ano? Eu tinha a Petrus, por exemplo, mas neste momento gostava mesmo, mesmo de Conseguir aumentar o número de flexões, morro antes das 10…

MJ: Em termos de treino acho que não, só se for aumentar aos km'S que corro ou diminuir o tempo que demoro a correr 10km, que é o meu máximo até agora.

A: No que diz respeito ao treino é tipo cada vez mais e melhor. Quando começaram estas doenças das corridas, conforme o que fazia antes estipulei fazer os 10km em menos que uma hora. Consegui logo à primeira. Pareceu-me muito básico. Fui melhorando Agora tenho um objectivo em mente que é fazer os 10km em menos de 40 minutos. Mas com calma…

Caramba... Menos de uma hora para 10km, logo à primeira é muito nice! Parabéns.

A propósito, doenças das corridas é muito bom! E pega se…

A: A MJ se não me engano também conseguiu menos de 1h. Não foi Ju?

MJ: Fiz 10km em 58 minutos.

Caraças! Parabéns MJ!

Vamos imaginar que do outro lado do ecrã nos lê a mais sedentária das pessoas. E ainda por cima como um pacote de batatas fritas enquanto mexe os olhos. Como a tentariam convencer a ir treinar convosco?

MJ: Pergunta difícil! Eu acho que lhe mostrava a minha foto do antes e depois de perder os meus 25kg, dizia-lhe: se eu consegui, tu também consegues! Deixa de te matar a cada dia que passa com esse sedentarismo e com esses maus hábitos alimentares e vem descobrir aquilo que o teu corpo é capaz de fazer e sentir o bem estar da mudança! Acho difícil motivares alguém que necessite de mudar, acho que podes consciencializar a pessoa do seu estado e dos riscos que corre, mas se a pessoa não estiver intrinsecamente motivada, não muda! Eu tinha consciência de como estava, mas o meu estado emocional fazia com que eu me estivesse a matar aos poucos diariamente… Através da alimentação, do tabaco, das muitas horas que passava na cama - todas as que podia.

A: Eu acho que independentemente de dizer algo, temos de tocar no coração. Mostrava as fotos com as mudanças que tive e dizia todas as coisas boas que acontecem com o exercício, porque não é só a nível físico que temos vantagens mas também a nível psicológico. É uma questão de começar, experimentar e sentir os benefícios de uma vida activa e saudável. Primeiro estranha-se, mas depois entranha-se.

 

Um grande, grande obrigada ao simpático casal que tão prontamente acedeu ao convite, pela simpatia, boa disposição e motivação que trouxeram até este tasquinho. Boa sorte para esses objectivos! 

Atletas Anónimos - O Joaquim

Ora, ora, finalmente um homem decidiu vir dar duas de letra comigo! (Foi só a mim que isto soou estranho?) Estava a ver que só as mulheres é que eram atletas...

O Joaquim, compincha de ginásio, acedeu ao meu singelo pedido e concedeu-me dois dedos de conversa. Nunca treinei com ele, mas admiro-lhe a preserverança e coragem em enfrentar os desafios que lhe são propostos.

Atentem só:

 

Joaquim, diz me lá, há quanto tempo frequentas o ginásio e porque decidiste começar?

 

Frequento o gináio desde Abril de 2016. Decidi começar a treinar por ter excesso de peso e por motivos de saúde.

 

Mas já fazias desporto ou começaste do zero? (fazer zapping no sofá, não conta...)

 

Comecei do zero!

 

E gostavas de exercício e "não tinhas tempo" ou odiavas mexer-te?

 

Sempre gostei muito de desporto. Jogava futebol de salão com os meus amigos, uma vez por semana, mas depois da minha filha nascer fiquei um pouco sem tempo e, claro, comecei a engordar. Recentemente fazia caminhadas e corridas nos passadiços à beira mar.

 Mais do que eu, que só fazia natação para bebés. Como conseguiste (e vais conseguindo) inserir o desporto na tua rotina diária/semanal?

 

 Quando andava a correr nos passadiços, já corria de Espinho a Miramar e de Miramar Espinho. Cheguei a perder muito peso nessa altura, aí há três anos, mas ganhei líquido no joelho direito e tive que parar.

Agora já estou bem.

O trabalho que tenho, permite que possa ter algum tempo para ir ao ginásio. Quando tenho o dia livre vou durante o dia, à tarde ou de manhã, para poder estar com a minha filha e com a minha mulher ao fim da tarde. Quando ando a trabalhar vou ao fim da tarde levar as tareias da Cátia.

 

Não falemos de tareias, por favor, já passou uma semana da última e ainda estou marcada. Em termos de dia a dia, situações do quotidiano, notas que o exercício regular te trouxe mais qualidade de vida?

 

Claro que sim, é muito bom nos sentimos em forma, a auto estima está em alta sinto me muito feliz!

 Sei que, por razões de saúde, não pudeste participar na corrida do demo lá da terra, que seria um dos teus objectivos para este ano. Tens mais algum?( Seja em exercício ou em peso)

 

O meu principal objectivo é ir a Fátima a pé e talvez, se me sentir bem, fazer alguma prova com o pessoal lá do ginásio. Quanto ao meu peso, não quero perder mais sinto me muito bem.

 

Apesar de praticares desporto antes, a tua atividade física regular é recente. Fala-nos um bocadinho dessa rua experiência. O bichinho entranhou logo? Ou ainda esteve a marinar um pedaço?

 

Nunca tinha frequentado nenhum ginásio, não sabia o que estava à minha espera. No primeiro treino com o Madu, sem fazer grandes exercícios, senti-me mal, quase desmaiava... (mesmo!) Senti-me mesmo muito mal, o Madu deitou-me no chão, abanou a toalha para fazer vento e fiquei mais aliviado. Pensava que não iria conseguir continuar, mas o Madu disse que era normal sentir-me assim porque não estava habituado. Foi um começo um pouco mau, mas a minha vontade de perder peso era enorme e com determinação consegui melhorar dia para dia. Primeiro na sala de musculação e depois as aulas da Cátia. Ai as aulas da Cátia! No princípio andava sempre espalmado, depois habituei-me e tornou-se vício até hoje!

 Conheço o vício... Felizmente ou infelizmente, ainda estarei para conseguir determinar. Imagina agora que do outro lado do ecrã, nos lê um preguiçoso do pior, enquanto enfarda alegremente um pacote de batatas fritas. Como o tentarias convencer a ir contigo ao ginásio?

 

Tentaria convencer com a minha mudança. Mostraria as fotos de quando era mais gordinho para ver o resultado e convencendo que  pode alcançar resultados rápidos, com muita força de vontade e determinação.

 

Já aconselhei algumas pessoas! Elas viram-me mais magro e perguntaram o que eu fiz para emagrecer!

 

Um grande obrigada Joaquim, por este bocadinho e por teres  aceite o convite tão rapidamente!

Atletas Anónimos - A Magda

A Magda veio até este tasquinho dar duas de letra sobre desporto e exercício físico. Trouxe, como sempre, a boa disposição e o sentido de humor. Ora atentai no que ela tem para nos dizer: 

 

Há quanto tempo frequentas o ginásio e porque começaste?

Comecei a ir ao ginásio em Dezembro do ano passado. Não porque goste ou porque me apeteça especialmente mas porque tive uma rotura muscular no psoas e, esgotadas as possibilidades da fisioterapia me fazer melhorar mais, o fisiatra recomendou-me fortalecimento muscular para ajudar.

Que melhorias significativas trouxe ao teu dia a dia?

Já consigo atravessar uma avenida a falar ao telefone (sem estar a arfar no fim), já me canso menos quando ando dum lado para o outro. Ainda há um longo caminho a percorrer (e a rotura ainda me vai dando sinais de que não está tudo a 100%) mas lá chegaremos.

Podemos falar de números? Quanto pesavas antes de iniciares e agora?

Como te disse, não fui ao ginásio para perder peso para isso comecei a ser seguida pela Dra Simone, a melhor nutricionista deste mundo e arredores que entendeu, na perfeição, as minhas manias, o facto de ter alguns constrangimentos por causa da doença de Chron e outros causados pelos meus horários. Comecei as consultas em Setembro (pouco tempo depois da famigerada rotura) com pouco mais de 129 quilos. Na última consulta tinha 124 quilos.

Além do exercício, também mudaste a alimentação. É algo que fazes com sacrifício ou já te habituaste?

A mudança na alimentação foi muito fácil. Precisamente porque a minha nutricionista (já te disse que acho que ela é a melhor do mundo?) me entendeu e percebeu – tal como eu – que mudanças excessivamente radicais, demasiado restritiva e exigente estaria condenada ao insucesso. Ambas optamos por um sistema que me permite perder peso devagarinho, sem stress, sem excessos, mas, acima de tudo, de forma consistente e coerente. Um ou dois quilos por mês é o suficiente porque os que perder agora não os quero recuperar.

Sempre gostaste de desporto ou só consideravas a leitura (como eu) como peso?

Ora bem, como resposta a esta pergunta, conto-te a resposta da minha tia quando soube que eu tinha começado a ir ao ginásio: só podes estar a gozar comigo Magda. Não acredito nisso. Só se for lá ver ou se me mandares alguma foto. E mesmo assim pode ser montagem.

Caracol, aos quatro anos (e há provas!) os miúdos corriam no ginásio e eu andava devagarinho atrás deles. Qual é a criança que o faz com esta idade? Eu! A maior preguiçosa que possas imaginar.

O meu desporto favorito sempre foi, e ainda é, a leitura.

Tens algum objetivo estipulado para este ano?

Correr a maratona de Boston!.

Mentira… Não tenho qualquer objectivo. Quero perder peso calmamente, continuar o fortalecimento muscular com calma e ir aumentando, muito gradualmente, o esforço feito no ginásio. E, acima de tudo, tentar ao máximo não arranjar desculpas para deixar de ir ao ginásio.

Imagina que do outro lado tens alguém imensamente sedentário que nos lê enquanto absorve um pacote de bolachas com petitas de chocolate. Como tentarias convencer a ir contigo ao ginásio?

Deixe lá as pepitas de chocolate, essas bolachas não prestam! Coma bolachas sem chocolate que são bem melhores. Ah, era para ir ao ginásio?... hum, vamos lá pensar. Se eu comecei a ir, toda a gente consegue ir. Não precisa de ir todos os dias, não precisa de lá passar horas a fio. Devagarinho e com calma tudo se faz. E pode continuar a comer uma ou outra bolachinha. Só não convém comer enquanto anda na passadeira. Ou na elíptica.

 

Obrigada Magda e boas corridas! :P

Atletas Anónimos - A Cunhada

Olá, sou a gorda/jeitosa de Arouca...
Estou aqui no estaminé d'A Caracol para vos dar a conhecer um pouquinho da minha história "corporal". Sempre fui gorda, sim gorda, sempre fui dura comigo, nas palavras, mas nunca fazia nada para mudar. Cheguei a pesar 77kg, foi aí que me deu o click. Não me reconhecia mais... BASTA!
Comecei pela alimentação/caminhadas.
Depois de ter o primeiro filho estava com 49kg, mas super flácida, foi aí que decidi que teria de começar a fazer ginásio para encher/tonificar as peles.
 
Tens noção que gorda com 77kg é ligeiramente ofensivo, não tens? A propósito, 49 kg é muito pouco peso, vê se tens juízo nessa cabeça.
Sempre gostaste de exercício físico?
 
Não é ofensivo, para quem se achar bem, tudo bem, mas para mim, para o meu corpo/bem estar mental esse peso era demais. Há pessoas com mais de 100kg que se sentem bem, por mim tudo OK, cada um(a) sente-se bem à sua maneira.
 
Não, nunca, sempre DETESTEI! Como se diz cá no norte "dava o cu e dois tostões" para não fazer a aula de educação física, na escola, e caminhar era o menos possível... Cansava!
 
Eras tu e eu... Tudo servia para baldas à aula. E agora? Já começas a gostar? Ou já chegaste ao ponto sem retorno em que já não se vive sem exercício?
 
Confesso que o ginásio já me está entranhado há coisa de dois anos e tal ou três, nem sei, já não consigo estar sem lá ir. Refilo e refilo e mais refilo, mas se não vou é o diabo em cuecas! Passo-me da marmita e agora que comecei com a musculação ainda gosto mais. 
O meu problema é que me saturo de fazer o mesmo.
 
 
O antes e o depois da Cunhada
 
Com que peso estas neste momento?
 
60kg, após ter o Mickey passei dos 75/76kg para 69kg.
Agora após meio ano do parto estou com 60kg, nada mau.
 
Nada mau mesmo. Tens algum objectivo de peso estipulado?
 
Sim, 58kg. Mas não vou ficar "obcecada" com números, o que me importa agora é resultados no corpo.  Para quem faz musculação os números não "contam", sabes que existem mulheres que pesam 58kg e vestem 36? pois é minha menina, muito músculo.
 
Acho uma boa ideia, até porque a obsessão roça a psicose e tu já és louca que chegue.
Como inseres o ginásio na tua rotina?
 
Louca, eu?! Vindo da pessoa que teve meia dúzia de AVS nos pés...
Iniciei o ginásio quando o Jake foi para a creche, devido a ter disponibilidade para ir sem ter de o deixar a cargo de ninguém, aí instalaram-se as rotinas (o ginásio fica a caminho da creche), até que dei por mim a ir aos arames quando por algum motivo não podia ir. E confesso que podia viver sem algumas coisas, por exemplo, sem a máquina de lavar louça mas nunca sem o ginásio! Ai, espera lá, eu não tenho máquina de lavar louça!
 
Além do ginásio, tens cuidado com a alimentação? Ou deitas tudo para o balde?
 
Para o balde??? Pensas que sou algum porco?! Tenho bastante cuidado até com a alimentação.
Se bem que dou algumas facadinhas que não devia.
 
Foto de Sara Silva.
 
A Cunhada como um helicópetro: gira e bouaaaaaaa! 
 
Deixa lá mulher, a dieta não é ciumenta e o corpo paga tudo!
O exercício trouxe melhorias à tua vida do dia a dia ou não notas nada?
 
Se noto... Durante a gravidez do Mickey tive de estar quietita, então quando voltei ao ativo, ai louvadinho senhor, não me aguentava! Agora??? Agora ninguém me pára! O céu é o limite. (Literalmente)
Mas notei agora com a musculação diferenças significativas no Zumba, tenho mais resistência.
 
Pelo amor Santa do fitness Cunhada! O zumba é para meninos!
Por semana, quanto tempo dedicas ao exercício?
 
Ora bem depende... Quando tenho Zumba é 60minuts + 30 mint( treino em casa) + 90*2 no ginásio, quando não tenho Zumba faço treino em casa de 30min.
 
Txiiii isso é muita areia para a minha camioneta de números... Mas é bastante. Não admira que estejas podre de boa, minha badalhoca.
Além dos quilogramas que tens como foco, tens mais algum objectivo louco de exercício? Tipo, sei lá, os trails de Arouca ou assim...
 
Nop, não sou tão tola assim. :P
 
Pois não, obrigada por me colocares no meu lugar. :D
Conseguiste dar me a volta e enfiar-me num ginásio, o que dirias àquele preguiçoso que nos lê enquanto deita abaixo um pacote de batatas fritas?
 
Estás a ler este post e sentes-te mal contigo mesmo(a)? Pois bem, faz alguma coisa por ti! Deixa-te de lamúrias, se estás assim a culpa é tua e só tua! Levanta o cu e mex-te!
Bem e com esta me despeço, vou agora estender o esqueleto no sofá que o treino (90min) de pernas foi puxado. :P
 
 
Vai, que eu vou penar ao almoço. Obrigada Cunhada, pelo incentivo de cada vez que vou correr e por fazeres tão parte da minha vida. Cá beijoca! 
 
 
 
 
 

Atletas Anónimos - A Dani

Muito me apraz a convidada de hoje, frequentou a escola comigo (recorda-se portanto da alcunha que dá nome a este tasquinho) e sempre foi um ás a educação física. E não, não estou a exagerar, era sempre a primeira a ser escolhida nas equipas. Sempre soube que a Daniela iria longe no desporto, não me surpreendem por isso as barras com mais quilogramas que o seu próprio peso. 

 
Diz me cá, há quanto tempo frequentas o ginásio e porque começaste?
 Frequento há cerca de 2 anos e comecei como forma de refúgio..sentia que tinha uma vida muito stressante e que não fazia nada "por mim".
 
Do que me apercebi e daquilo que vou vendo da tua vida faceboquiana, fazes essencialmente musculação, certo? Não acabas por achar monótono? Por ser sempre a mesma coisa?
 Já cheguei a fazer algumas aulas, no entanto, devido a problemas de saúde (3 hérnias discais lombares) os exercícios de impacto não eram de todo o melhor para mim. Fui desafiada por um amigo a fazer musculação com o objectivo de aumentar a massa muscular para reduzir/acabar com as crises de coluna.
 Nunca achei a musculação monótona porque encaro cada exercício como um novo desafio.
E sempre tive a sorte de ser acompanhada por excelentes profissionais que nunca se limitaram a dar-me uma folha com" 500" exercícios para fazer sem qualquer tipo de acompanhamento
Não faço sempre a mesma coisa: várias amplitudes, pesos e ritmos.
 
 
 "Todo o desporto começa numa sala de musculação, po
rque todo o desporto necessita de massa muscular." (Dani redixit)
 
 
E melhoraste as crises?
Nunca mais tive crises relativamente às minhas hérnias 
 
Sempre gostaste de desporto, lembro me bem, a musculação acaba por diferente. O que te leva a fazê-la com gosto e empenho? E não me digas que não é assim, porque nota-se nas tuas publicações. 
 Quando começas a ver o teu corpo a sofrer alterações, a te superares diariamente cria-se um "vicio".
Neste momento a musculação é o meu "ansiolitico". :D
 
Quer dizer que prefere levar com um haltere que com uma caixa de xanax? Acho muito bem. 
 Sem dúvida! :D 
 
Qual a dificuldade/insegurança que sentiste no começo?
 O medo de "vingar" num mundo maioritariamente masculino e o medo das lesões ao treinar com grandes cargas.
 
Ora aí está um ponto que queria focar. Alguma vez sentiste... Discriminação (não é bem este o termo, mas não me ocorre outro) por parte de elementos masculinos?
 Não, muito pelo contrário
Nunca senti isso por parte do sexo masculino, sempre me apoiam e desafiam.
Já o mesmo não acontece com sexo feminino...
 
As gajas são piores nestas coisas... Ninguém é mais machista que uma Gaja.
 Sem dúvida! 
Olhares cortantes...
 
Gajas... Sempre a envergonhar a classe feminina. Impressionante.
Como é um treino dos teus?
 Cada dia da semana treino grupos musculares diferentes
 
Wow. Tu treinas TODOS os dias?!
Como é que consegues?
 4 a 5 vezes por semana. E 2 dias por semana faço treinos bi-diários
À noite faço 25 min de trabalho cardiovascular.
 
Caneco!
Até fiquei cansada...
Podemos falar de "números"? O que te interessa é a massa muscular,já percebi. Tens alguma noção de quanto tinhas antes e quanto tens agora?Se é que sabes, eu não quero saber,por exemplo. Basta me conseguir vestir umas calças sem pinchar.
 Eu diminuí de 28% de massa gorda para 15%.
Aumentei cerca de 6 kg de massa muscular.
 
 
6kg?! Seis quilos de gordura transformada em músculo?! Caramba, lembra-me para nunca brincar ao braço de ferro contigo. 
Em termos de rotina diária, o banal do dia a dia, notas que a musculação te trouxe benefícios?
 A musculação deu-me muito mais qualidade de vida, sem dúvida!
 
E tens algum objetivo estipulado para este ano?
 Apesar de muitas pessoas me incentivarem a participar naqueles concursos de fitness, o meu objectivo é levar o meu corpo ao máximo sem ter que subir ao palco ou tomar suplementação "pesada".
Quero se fit e saudável!
 
O que é, para ti, levar o corpo ao máximo?
 Aumentar o máximo de massa muscular que conseguir e queimar o máximo de gordura que conseguir, sem ficar "masculina".
 
 
Tens muito cuidado com a alimentação? Ou por outra, tens alguma "dieta" para te permitir tirar o máximo de rendimento dos treinos?
 Costumo dizer que não faço dieta. Tento ter uma alimentação saudável, mas não faço nenhum regime, apenas evito certos alimentos, como fritos, bolos, gorduras...
 
És das minhas, cá mais cinco que viver sem massa e arroz não é vida. 
Como incentivarias alguém a praticar desporto? Assim alguém muito sedentário que está do outro lado a ler isto enquanto emborca um pacote de batatas fritas.
 O meu maior incentivo para as pessoas sedentárias é fazer com que elas tenham noção do quão o desporto muda a vida das pessoas para o melhor.
Para mim é o meu xanax! :D 
 
 
 
"O fisioculturista é o único que transporta consigo todas as suas próprias conquistas:
o seu corpo" (Dani redixit)
 
 
 
Já te estou a imaginar em frente à barra a "enfiar pastilhas" no bucho, Dani!
Obrigada pela partilha e mete carga nisso que está muito leve! :P

Atletas Anónimos - A Paula

Mais uma compincha de ginásio: a Paula. Além da persistência e perservança perante o mais demoniaco dos exercicios (e não, não é exagero, já levei várias abadas dela), a Paula tem um ótimo sentido de humor. Ora atentem: 

 

Fiz a minha inscrição em setembro de 2016. iniciei em outubro de 2016 com toda a vontade e mais alguma, para começar a ver os tão esperados resultados, (esperados resultados no meu íntimo), ser capaz de caminhar além dos 10 ou 20 passos habituais à saída ou entrada do meu carro, poder reduzir significativamente o espaço que ocupo, em todas - repito - todas as situações: nas cadeiras, nos elevadores quase lotados, nos minúsculos duches, nas sanitas, no banco de trás dos carros mais pequenos e nos bancos da frente também... Essencialmente, não voltar a passar pela humilhação pública de vir com a cadeira agarrada ao traseiro nos centros comerciais quando me levantava. Melhorar a minha saúde física (depois dos últimos resultados das análises clínicas, foi-me dito que eu era uma bomba relógio) e melhorar a minha saúde mental (escapar do isolamento social e aumentar a minha auto-estima).

 

Uau Paula, isto é que é uma apresentação e pêras! Porque decidiste começar a mexer as perninhas? 

Para melhorar a saúde física e psicológica.

E como está a correr a coisa? 

 

Vai muito devagar, o que eu gostava mesmo era alcançar o meu objetivo com a rapidez de um estalar de dedos.

Como conseguiste, e vais conseguindo, manter o ginásio na tua rotina diária? 

 

 Percebi que há sempre um momento em que é possível mudar a minha rotina e comecei com a minha hora de almoço. A verdade é que, para me alimentar bastava uns 10/15 minutos ficando portanto com muito tempo de sobra, podia por isso fazer uma melhor escolha para a ocupar.

Sempre gostaste de exercício? Ou nem por isso?

 

Ao contrario, achava uma perda de tempo, uma "frescura" para quem praticava desporto, uma parvoíce, tanto cansaço quando o cansaço já existia por si só. Comecei a gostar (muito). Depois da terceira ou quarta ida, quando percebi que caminhar no tapete durante 20 minutos à velocidade quatro, (tão difícil e com tanta dor nos gémeos a que eu chamava barriga das pernas), não era algo de outro mundo, até já me sentia capaz de caminhar à velocidade 5.5 agarrada ao apoio da máquina e com as idas assíduas já dava para perceber que cada vez conseguia mais um bocadinho. Aí estava a minha motivação e vontade de ir ao ginásio!

Fala-nos um bocadinho desta tua experiência. Mas conta tudo, não escondas nada! :D

devo falar num ponto muito importante (que estava ainda por dizer): o facto de ter conseguido ir sem "medo" de estar a ser observada e criticada, consegui estar à vontade, focando toda a minha energia no que seria capaz de fazer ao invés daquela minha insegurança que se apresentava em todas as outras tentativas. A meta a atingir neste momento é conseguir correr uns 100 km seguidos até me achar capaz de acompanhar Usain Bolt num dia bom. A minha maior dificuldade é talvez manter um ritmo constante de corrida durante um período alargado, estou certa que vou conseguir. Tinha uma vida muito sedentária quase nem caminhava ia de carro para todo o lado mesmo para distâncias mínimas (100/200 metros) raramente dava "uso às pernas" não me aventurava a saídas se houvesse necessidade de caminhar, com medo de não ser capaz. Sentia-me mal quando tentava. Até que se fez " luz" e resolvi que tinha, mesmo que alterar o meu estilo de vida, tinha mesmo que pensar em corrigir o mal que tinha feito a mim mesma nestes últimos/ muitos anos e foi esse mesmo impulso, um desejo muito forte, que me fez querer mudar para me sentir melhor, mais saudável e muito mais feliz. Quanto à melhoria que o exercício fez à minha vida. Este percurso de quatro meses no ginásio, foi um prémio à minha determinação. O sentir-me capaz de subir alguns degraus sem ter que parar para me recompor e recuperar o fôlego, ou caminhar lado a lado dos meus amores sem haver a necessidade de os fazer esperar que eu recuperasse a cada meia dúzia de passos dados, o sentir-me mais leve, mais ágil, mais saudável, mais segura e mais feliz, tudo isso é tão gratificante e motivador que me fez querer continuar e conseguir mais e mais, com muita "sede". A verdade é que é preciso essa força de vontade para podermos apreciar e tirar partido do nosso esforço.

Imagina agora que do outro lado do ecrã tens uma pessoa pachorrenta, tipo eu, que está a ler isto enquanto emborca um pacote de batatas fritas bué gordurosas. Como a tentarias incentivar a ir contigo ao ginásio?

 

Digo o que me foi dito pelas pessoas que me amam e pelas pessoas que gostam de mim durante anos: -" Faz desporto". Agora sim, ouvi essas palavrinhas e sinto-me muito MAIS feliz.

 

Obrigada Paula, por este bocadinho. Uma grande beijoca e fico à espera do poster autografado! :D