Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

6 boas razões para se manterem fisicamente activos

Ponha o dedo no ar quem já mexeu, ou vai mexer, o corpinho hoje – e não, subir para o escritório no 23º pelas escadas não conta. Falo mesmo do exercício físico, aquela coisa que nos faz suar em bica, nos bombardeia com uma dose de felicidade pura no final e nos deixa de cama no dia seguinte.

Ora bem, a Evans (do grupo de facebook Cozinha Paleo com a Evans, conhecem?) convidou-me para falar um bocadinho sobre ele e sobre o impacto que teve – e tem – no meu dia a dia.

Podia falar-vos sobre o meu curto percurso neste admirável mundo, mas não vos quero entediar, pelo que vos trouxe 6 boas razões para se manterem fisicamente activos. Preparados? Começamos em 3, 2, 1…

 

- MAIS AGILIDADE / AUMENTO DE RESISTÊNCIA

 

 

Nada de maratonas e agachamentos com 100kg, falo de correr com os miúdos (ou atrás deles) no parque sem falhar na respiração, por exemplo. Ou de pegar num saco de ração para cães de 20kg sem perder os sentidos. E sabem aquela forma para bolos que está bem lá em cima do armário? Provavelmente conseguem esticar-se o suficiente para lá chegar sem chamar reforços.

 

 

- ESTIMULO À SUPERAÇÃO E COMPETIÇÃO PESSOAL

 

 

“Olha que fixe consegui 5 abdominais completos, será que chego aos 10 até 2025?” “Eh pá, corri 500m! Vou já inscrever-me numa corrida de 10km.” “Sejas mariquinhas, se ontem conseguiste 3 burpees, faz no mínimo mais 2.” Quanto mais fazemos, mais nos desafiamos, mais gostamos, mais nos superamos. E essa será talvez a maior magia que iremos ver na vida.

 

 

- MELHORIA DA QUALIDADE DE SONO

 

Sem dúvida! A melhoria é de tal ordem que por vezes começa mal terminamos a coisa. E eu sei bem do que falo que muitas vezes quase adormeço a meio do banho. Agora a sério, é inegável que a qualidade de sono melhora. Não seremos todos iguais e conheço algumas pessoas que apesar de tudo continuam a ter insónias ou outros distúrbios de sono, mas a nível pessoal sinto que repouso melhor, o sono não é tão leve e acaba por ser mais recuperador – menos quando levo uma coça de caixão à cova, aí não nada que me valha e tenho vontade de ficar 3 dias de cama. Sempre a dormir.

 

 

- AUMENTO DA HORMONA DA FELICIDADE

 

Não sei se é a dopamina, a serotina ou outra ina qualquer. Sei que há uma toda uma energia positiva que se liberta durante e no final que nos faz ser os maiores da nossa rua. Podemos já não ter pernas, os pulmões em cinzas e os braços em farrapos: o espírito está lá em cima e é teimoso a descer.

 

 

- MAIOR CONHECIMENTO DA ANATOMIA MUSCULAR

 

Sabem aquele musculozinho pequenito que sabe deus para o queremos? Vão passar a saber que existe. Têm consciência do vosso rabo? Vão passar a ter ainda mais. E os bíceps, sabem onde estão? Ah, mas vão saber. Tal como os tríceps, os quadríceps, os peitorais, os gémeos, a escapula e até a planta dos pés!

 

- RELATIVIZAÇÃO DE PROBLEMAS

O teu colega de trabalho foi nojentinho? 50 flexões e já não te lembras a razão. Discutiste com o marido porque deixou outra vez a máquina de café ligada toda a noite? 200 agachamentos e és tu que vais deixar os bicos do fogão ligados, mais explosão menos explosão, ninguém dá conta. Só tens 2€ na carteira? 4 minutos em prancha e já nem sabes quem és, de onde vens quanto mais pra que raio precisas de dinheiro.

 

 

 

Antes que perguntem: não, não fui sempre assim. Era uma preguiçosa do pior, mantinha uma relação super estável com o sofá e estava bem com o meu peso. Bom, talvez 2 quilitos a menos não fosse mal pensado, mas não foi isso que me levou a inscrever-me num ginásio, foi mesmo o precisar de uma distracção, um sítio onde descansar e esquecer o resto: a maternidade, as obrigações, o trabalho Enfim, um escape. Acabei por me ficar irremediavelmente ligada à coisa e já o faço por gosto (ah, bom… nem tudo), mexendo o corpinho mais de 3x por semana. Não troco a energia que me dá por nada - nem por três bolos de chocolate com recheio de natas e morangos. ;)

 

foto.jpg

  E vocês, já malharam hoje? 

 

5 tipos de mulheres numa Pink Party

Fui a uma Pink Party e sobrevivi para contar a história. Mesmo por unha negra, uma vez que me passou pela frente a terceira categoria e vi a minha vidinha toda a andar para trás. Literalmente.

Como sempre, podem contar comigo para toda a verdade sobre quem são e como são as mulheres, quando soltas à sua natureza numa sala carregada de estrogénio. 

Atentem: 

 

A Tiró-pé-do-chão

Ela tenta, resiste com todas as forças, mas não consegue. Ainda a procissão vai no adro, a sopa a ser servida e já os seus dedos tamborilam na mesa ao som da batida musical. Pouco lhe importa se é pimba, se é samba, se é forró, se é folclore. Mal se ouvem os primeiros acordes há todo um click pavloviano que se inicia e só desliga bem depois da festa terminar. 

 

A #firstworldproblems 

 

Toda a gente comenta o decote da moça roliça do gabinete de contabilidade do8° andar*, o vestido vermelho berrante e curtérrimo de fulana* ou as contorcionistas em poses fotográficas*, quando esta mulher atira um: "Então e a guerra na Síria? Vocês já viram? Não se percebe como ninguém põe fim àquilo...". Quando chamada atenção para detalhes verdadeiramente importantes, como a troca de olhares entre duas mulheres em mesas opostas capaz de incêndiar toda a floresta amazónica, necessita de um esquema desenhado com um gráfico de excel e uma explicação científica de Stephen Hawking.

 

 A Kamikaze das sobremesas 

 

Não se metam com ela ou mata-vos ali, sem dó nem piedade. É capaz de vos afiambrar com o prato de sobremesa (onde empilhará fatias de bolo como se fosse um jogo de Tetris) maneja a faca e o garfo como um samurai e se tiverem a ousadia de colocar a ponta do pé à sua frente, mesmo que seja só para pegar na colher de sobremesa, levam com um toque no ombro e um olhar à ninja que claramente a mensagem: "Não vais comer bolo de brigadeiro antes de mim ou sou capaz de te arrancar os dentes à colherada." 

 

A das fotos

 

 

Ainda ninguém sentou o rabo para jantar e já a das fotos esgotou o primeiro cartão de memória do telemóvel. Traz sempre várias recargas e a powerbank é a sua melhor amiga. Há imensos detalhes que quer recordar para sempre, como a cor das toalhas ou o bordado dos guardanapos e dispara mais clicks por minuto que uma kalashnikov na frente de batalha. 

 

A Esquiva  

 

Conhece o caminho para a casa de banho como a palma da sua mão. É perita a evitar os trilhos manhosos da pista de dança, assolapando o rabo na cadeira para não mais levantar. Bebe mais água que um camelo consegue armazenar nas duas bossas, para assim desculpar as repetidas idas ao WC e reza para que este tenha sempre fila do tamanho de uma Anaconda gigante. Consegue esquivar-se à maior parte das coreografias que todas sabem de cor, não sabe que quem vem lá "É o ritmo do amor" (até porque isso é coisa um bocado íntima) e é sempre a primeira a dar de frosques, acrescentado outro adjectivo a esta categoria: a tinhosice. Quase ninguém dá conta da sua presença na festa, a não ser quando a empurram para a pista e demonstra toda a sua fluidez natural de corpo de granito, mas todas sabem que lá esteve - até porque está a escrever isto. 

 

E é isto, maizómenos, que se passa numa festa destas. O resto... Bom, o que se passa entre mulheres, fica entre mulheres. 😏

 

* Descrições totalmente ficcionadas.