Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Sobre o Carnaval

Em três anos, Caracolinho já foi mascarado de:

- Parolinho (vesti-lhe roupas com os mais variados padrões numa salganhada de cores, riscas e quadrados)

- Mini aspirante a fit (umas leggins, umas caneleiras em lã, sapatilhas, camisola justinha, toalha pelos ombros, uma garrafa de água catita, halteres com balões e 'tá andar)

Este ano e como sou muita fã do Carnaval (#soquenao) pensei em disfarça-lo de Wally. Super fácil: gorro vermelho, camisola às riscas vermelhas, calças ganga, óculos gigantones redondos. Um espétaculo.

Hoje de manhã enquanto falavamos sobre isso, responde-me do alto dos seus três anos:

- Não quero ir de Wally, mamã. Quero ir de pijama.

- Mas pijama não é bem difarce, Caracolinho.

- Mas eu queria... Posso?

Sai um Soneca para mesa do canto, faxabor, que no Carnaval pode-se tudo!

(E ainda por cima rápido de r€solver. Cá beijinho meu rico filho.)

Mamã, posso pentear-te?

Quando eu fui mãe, já todas as amigas o haviam sido. Já todas sabiam para o que ia e todas fizeram questão de me deixar indicações. 
"Vai ser maravilhoso! Vais cair para o lado de sono... Mas é maravilhoso!" 
Ninguém me mentiu ou pintou a coisa mais cor de rosa. E, em boa verdade, eu já sabia que isto é uma montanha russa e não um carrosel de cavalos alados. 
No entanto, o que eu quero mesmo saber é: 
Porque é NINGUÉM (reparem bem, nem uma alminha de boa fé) me disse que me iam tentar arrancar cabelos a fazer trancinhas. É que o moço diz "Mamã, posso pentar-te?" e toda eu estremeço, numa agonia pelo cabelo que ainda me resta. Chego a questionar-me se tem garras em vez de dedos, depois lembro-me que é gajo e portanto delicadeza é algo que geneticamente não lhe assiste. 
Mães deste mundo: não estão sozinhas. O meu cabelo também sofre. Estamos juntas.