Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Sou fit! E agora?

Muita coisinha tenho para vos contar nesta temática. Tenho para mim que aquele pessoal do ginásio ficou tão entusiasmado com o novo título, que achou por bem dar cabo do esqueleto à malta. Foi uma semana completamente insana, no que toca ao exercício. Só para terem noção, fazia intenções de voltar à rotina de tapete uma vez por semana (e desta não pode passar, se quero correr pelo menos metade da meia maratona) e não fui capaz. Porque pura e simplesmente não me mexia nos dias pós aulas. E juro que não estou a exagerar.

Na segunda, tinham prometido "uma aula divertida" de combat. Uma pessoa vai com vontade de limpar o espírito, rejubilando em segredo de si para si por finalmente, finalmente!, uma aula sem saltos e exercícios que não lembram ao diabo. 

Pois... 'Tá bem abelha. 

Cheguei ao fim com a sensação de ter saltado mais do que em toda a minha vida. E eu que pensava que eram só os soquinhos e uns pontapés a fazer de conta... Que anjinho, minha gente, que anjinho. 

No começo senti-me (ainda mais) idiota: já é mau ser descoordenada, mas sê-lo e ainda ter que acreditar que iria acertar em cheio na bochecha de alguém era tão plausível como ter uma costela de Jakie Chan, que, obviamente, não tenho. Estão a ver alguém aflito, no meio de um exame de abelhas a tentar matar alguma? Sou eu, numa aula destas. Para cúmulo, um dos "golpes" ensinados seria o punho contra o queixo do (suposto) adversário. Foi aqui que achei que isto era demasiado arriscado: a probabilidade de acertar no meu próprio queixo era enorme. Limitei-me a fazer uma espécie de malabarismo às partículas minúsculas de pó que pairavam no ar e ao fim de trê segundos e meio, estava um cinturão negro de taekwondo ao pé de mim, tentando ensinar-me devidamente a arte da coisa. Acabei por lhe apanhar o jeito já quase no final, pelo que não pude apreciar a beleza de movimentos. Sem ironia, é mesmo isto, beleza de movimento. Aquilo bem feitinho é digno de vista. E de dor também, porque o segredo da tática é a força aplicada, mesmo quando o oponente é invisível. Só percebi isto a meio, imaginem se fosse logo ao inicio... Não sobreveria uma única abelha, nem braços para contar a história. 

Na quarta, ainda os meus bracinhos gemiam disto, foi-nos sorteado CrossTrainning. Mas isso... Bom, isso foi tão bom que merece outro relato. :D