Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Mães (Im)Perfeitas - A Prima Vera

Na semana em que começa a estação do ano com o seu nome, veio hoje polinizar aqui o estaminé a Prima Vera, prima das bolachas para os amigos, que é assim uma irmã mais velha, daquelas que inspiram e quem se recorre para aquele conselho ou para contar aquela novidade. Faz parte da minha vida desde que me conheço por gente e é um privilégio contar a sua amizade.

Foi com muito gosto que a convidei para esta rubrica, quer pela nossa relação, quer pela sua prespetiva e postura na maternidade.

Avancemos que de conversa fiada estão vocês fartinhos.

Quem é a Prima Vera?

 

Vera, 37 anos, mãe de Rita, 6 anos e Gabriel 3 anos.

 
Prima se te pedisse assim com muito jeitinho, eras capaz de definir, numa só palavra, a maternidade?
 
Oportunidade - para perceber a essência da vida, para relativizar as dificuldades, para me tornar uma pessoa melhor, para ser mais feliz.

O Gabriel é um pequeno mafarrico, toda a gente sabe, até a Ritinha teve as suas crises, lembras-te da pior birra com que te brindaram?
 
Não tenho nenhuma gira para destacar, vivi várias relacionadas com temas comuns como a alimentação (o quero/ não quero), o vestuário e calçado (o gosto/ não gosto), as rotinas diárias (tomo banho/ não tomo) e o universal "apetece-me contrariar-te, qualquer que seja o tema!"
 
Como costumas lidar com elas? Mandas as crianças pela janela? Ameaças fugir para a Cochinchina? Não nos escondas nada, por favor.
 
Tento duas vezes cada uma das tentativas abaixo descritas.
Primeira tentativa: a do"nem dei conta" - finjo que não percebo, a ver se a coisa se resolve por si.
Segunda tentativa: a pedagógica - aquela em que eu explico o meu ponto de vista e espero que eles entendam.
Terceira tentativa: a prática - aquela em que tento demonstrar a consequência dos comportamentos, o resultado das más escolhas, o impacto na vida deles a curto prazo.
Quarta e última tentativa: a desesperada - aquela em que digo que estou farta de birras e vou mudar de casa...
Com a repetição dos procedimentos, normalmente o ciclo é interrompido nas fases iniciais, não sendo necessário chegar à última tentativa.
 
Ah-ah, afinal também te passas da mona! Falhei por pouco, afinal mudavas só de casa, não de país... Birras à parte, que nem só disso são feitos os nossos dias, tens algum momento especial, que te tenha marcado enquanto mãe? 
  
Emocionam-me sobretudo as pequenas coisas: os olhares afetuosos, os abraços sentidos, ser aos olhos deles a mãe mais bonita, mais alegre, mais fixe...muito mais do que eu poderia alguma vez pedir.
 
Aqui que ninguém nos lê, diz-me cá: o que tens aprendido nesta aventura que é a maternidade?
 
Que a prática é muito melhor do que todas as teorias.
 
Nem sempre a adaptação ao um novo filho corre às mil maravilhas. Como correu essa mudança na vossa família?
 
É uma nova aprendizagem - ter de gerir o tempo e disponibilidade mental para que ambos se sintam importantes; lamentar as alturas em que um fica prejudicado, em quantidade ou qualidade; mas é sobretudo uma grande alegria, momentos de grande entusiasmo, pequenas e grandes conquistas vividas em família. É fazer parte de um projeto de vida maior, com tudo o que isso implica.
 
És das pessoas mais organizadas que conheço. Tens algum segredo na gestão do tempo que queiras partilhar?
 
Priorizar. E respeitar as prioridades.
 
É um bom conselho, sim senhora. 
Ser mãe - ou ser pai - nem sempre é sinónimo de ser o melhor amigo dos filhos, mesmo que o que façamos seja sempre pelo seu bem. Como esperas que os teus filhos te recordem?
 
Esta pergunta transporta quase para a altura do meu desaparecimento, mas sendo essa a ideia ou não, gostava que recordassem sobretudo o amor que lhes dedico, e sentissem realmente o privilégio que é para mim tê-los trazido ao mundo e fazer parte da vida deles. 
 
Antes de te ires embora, queres deixar um conselho para futuros pais?
 
Aproveitar cada dia como se não houvesse amanhã.
 
Obrigada Prima Vera, pela disponibilidade e carinho com que aceitaste o meu convite! Foi uma honra ter-te por cá. E já sabes, na próxima visita quero dois pacotes de bolachas de aveia. :D
 
 
 

6 comentários

Comentar post