Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Blogue com informação crucial à sobrevivência.

Mães (Im)Perfeitas - A Nay

Sexta é dia de conversa entre mamãs e hoje veio cá a Nay (estive em casa dela na segunda, é favor lá darem uma saltada).

Sou "Nay", mãe de um ser perfeito, pelo menos aos meus olhos, que é a Miss.Moony.
Sempre disse que não queria outro filho porque acho que esgotei a minha sorte à primeira e a verdade é que não estou nada arrependida! 
Então diz-nos cá Nay, que tens aprendido nisto da maternidade?
 
Tanta coisa... Mas acima de tudo aprendi o que é amor incondicional, aquele amor sempre e para sempre.
Aprendi que a minha mãe tinha razão ao dizer que depois ia ver quando tivesse os meus filhos :D
Aprendi que realmente "estamos sempre a aprender", eles têm tanto para nos ensinar!
 
Como esperas que a tua filha te recorde daqui a uns anos?
 
Com amor claro...ahahah
Agora a sério, quero que me recorde como alguém que tentou sempre fazer o melhor...posso não ter conseguido algumas vezes mas tentei.
 
E as birras Nay? Continuam? Nem por isso? Como reages quando elas surgem (ou surgiam)? Não nos escondas nada.
 
Neste momento as "birras" traduzem-se em "já vou", "depois faço"....
Resolvo como sempre resolvi...1...2.... :D
 
Acho que vou começar a adotar esse  método. O problema é o puto achar que é contagem para brincadeira... Elucida-nos, ou tenta vá, como é ser mãe de uma adolescente?
 
Por enquanto não está mal mas até tenho medo de agoirar.
Não temos tido grandes conflitos e quando aparecem resolvo como sempre o fiz quando era pequena, com diálogo.
Enquanto os outros pais falavam com os filhos com cutxi-cu e gugu-dada, nós dizíamos "é assim porque...", " se fizeres isso pode acontecer..."
Lá nisso tenho de dar créditos ao meu homem que sempre fez questão que assim fosse e não correu mal.
 
Tento fazer isso e a verdade é que mesmo com 18 meses parece que percebe, raça do miúdo. Nós, as mães, fixamos tu-do. Há algum momento que tenha marcado mais?
 
Opah tantos...
Houve um quando ela tinha cerca de 3/4 anos, ela nunca suportou que eu estivesse zangada com ela, e numa noite em que já não me lembro porquê, estava chateada com ela quando a fui deitar à noite.
Ela pediu desculpa mas como estava mesmo muito chateada, disse-lhe que amanhã falávamos. Dei-lhe um beijinho, apaguei a luz e fui para a sala, nisto quando me volto estava ela atrás de mim e juntou aos mãozinhas uma à outra, desata a chorar baba e ranho e a dizer "oh mãe por favor perdoa-me"... 
Não sabia se havia de rir ou chorar, tive tanta pena da minha pulguita!!!
Mais recente, no ano passado, quando estava a ser vitima de bullying e um dia quando a fui pôr à escola me disse, com lágrima nos olhos "oh mãe não quero ir".
O que tu fazes nessa situação?!?! Ficas com o coração pequenino de tanta dor e aquela carinha gravada na minha mente para sempre!
 
Bolas... É difícil pensar nisso, confesso.
Sendo a tua filha mais autónoma tens a gestão do tempo facilitada ou nem por isso?
 
Ainda não é bem autónoma, mea culpa que não resisto em facilitar-lhe a vida sempre que posso.
Mas é totalmente diferente de quando são pequenos, já conseguimos ter algum "me time".
 
Que conselho darias a futuros pais e a pais com miúdos prestes a entrar na adolescência?
"tamo junto" :D
Olha, encham-se de paciência recordem-se que já lá estiveram... depois... tudo passa, até as fases menos boas!
Coragem!
 
Para terminar, peço-te que definas a maternidade numa só palavra e expliques a tua escolha.
Xiii...
Infinidade. 
É um amor infinito, uma aprendizagem constante... é uma infinidade de coisas boas!
 
Lá isso é Nay, acho que todas concordamos contigo. Mesmo nos maus dias.
 
Muito obrigada por cá teres passado - apesar de toda aquela confusão de conversas - foi um prazer conhecer este teu lado, tal como a tua filha! 

20 comentários

Comentar post