Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Há coisas que me transcendem #3

Pessoas sem vida.

 

Não meus caros, não venho falar de defuntos, zombies, ou pessoinhas apáticas. Hoje, falo-vos de quem não tem uma vida.

 

Andava eu a passaretar pelo mundo dos blogues, quando páro n'A Pipoca.

A Pipoca, para quem não sabe (há alguém que não saiba?), é a Cleópatra dos blogues.

Queixava-se a autora do mais que famoso A Pipoca Mais Doce (se não conhecem, parem lá e divirtam-se!), neste texto, que os seus fãs - sim, porque para repararem em pormenores daquele calibre só podem ser fãs, ter página de fãs e ainda todo um altar pipoquiano na marquise lá de casa - melindram-se com a sinuosidade dos seus dentes! Ele há gente que não tem mesmo nada que fazer da vida!

 

Vou todos os dias ao blogue da Pipoca, é quase como abrir o facebook pela matina para ver as novidades, e nunca reparei nos dentes da moça. Nem no nariz. Nem em nada que não fossem os farrapos que costuma vestir, ou nos Loubotin que teima em trazer colados aos pés. Se calhar, sou só eu, que tenho marido, um enxoval a preparar, trabalho, casa para arrumar, cães para tratar, vida social para gerir... Na volta, sou eu, que tenho vida e a vivo com gosto, sem mesquinhices ou nhas-nhas desnecessários. Na volta, sou eu, que desdramatizo, relativizo e tento tornar pequeno o maior dos problemas. Na volta, sou eu que estou errada.

 

E certa está aquela pessoa, frustada pela vida, ou pelas escolhas que fez da vida, sem razão pela qual se levantar de manhã, sem amigos para sair, sem preocupação do que irá fazer para o jantar, se a EDP já foi paga, se vai chover porque deixou a roupa no estendal... Na volta, é essa pessoa que está certa que, sem ter nada com ocupar os miolos, esmiúça as vidas dos outros como se dela fossem e "corrige" o que gostaria de ver corrigido na sua.

 

Deve ser triste isto de não se ter vida.

Eu, que já tive uma vida de cão (desculpem-me lá o dramatismo, é só hoje), não trocava a minha por nada. Gosto dela, das lições que me ensinou e continua a ensinar, do cansaço ao final do dia, daqueles dias em que não apetece fazer nada e tudo está por fazer. Gosto do seu silêncio e do seu barulho, dos seus cinzentos e dos seus arco-iris.

Enfim, é uma vidinha comum e simples, mas eu gosto dela assim, que vou fazer?

 

Uma coisa é certa, se eu não tivesse vida, não escolheria a da Pipoca. Não é por nada, gosto bastante da moça, mas se é para não ser a minha, ao menos que seja em grande! Tipo, a Angelina, ou a Gisele Bundchen, que têm uns pernões do caraças e isso deve dar bastante jeito para partir alguns dentinhos alheios!  

 

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post