Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. Não é nada, é mesmo só parvo.

Eu e as papas e as papas e eu...

Nunca fui grande fã de nestuns, cerelac's e afins, nem sequer gosto particularmente de arroz doce, dada a consistência da coisa. Toda a gente me dizia (e diz) que papas de aveia é muito bom, para experimentar que não me ia arrepender e tal... E eu, dei comigo a pensar: bom, já tens quase 30 anos, já tens idade para saber que só vais ter a certeza se gostas quando provares. Deixa-te de ser xoninhas, faz e prova. 

A reter antes de continuar:

  • Não gosto de leite quente simples. Não perguntem porquê, não sei explicar, acho um paladar horroroso, e chego a ficar sem respirar se ele ferver debaixo do meu nariz. E esse era o meu receio, que aquilo soubesse demasiado a leite. 
  • Não coloquei absolutamente nenhum adoçante antes de provar. Erro de principiante armada em esperta e estóica. 

Portanto, aquilo saiu do robot de cozinha, vulgo bimby, com uma consistência que me pareceu errada. Coloquei mais um bocadinho a mexer. Verti a papa para uma taça, carreguei aquilo de canela, pensei no conforto de algo quentinho e saboroso, meti uma colherada à boca e... Apeteceu-me chorar. Credo, que coisa absolutamente intragável! Onde estavam os açúcares do leite? E o paladar da canela? Ainda tentei engolir a segunda colher de uma vez só, mas as minhas papilas gustativas pareciam ter sofrido de um efeito acidente: quiseram dissecar melhor aquilo, numa tentativa vã de lhe encontrar paladar. Não encontraram, como é óbvio, porque a aveia é desprovida de sabor. 

Juntei um pouco de mel e a coisa ficou mais gostosinha, apesar de ainda me custar a mastigar. Demorei uma vida terminar a taça, porque tinha (e tenho) consciência que parte do "sacrifício" era mental (pela barreira do aspeto), ao passo que o homem emborcava umas bolachas com recheio de cacau. Espetacular. 

Ainda assim, não me resignei nem passei a odiar papas de aveia, apesar desta experiência pouco prazerosa. Vou dar-lhes uma segunda oportunidade, com variantes à receita tradicional, acrescentando frutas. E cevada ao leite (obrigada colega!). 

Depois disso, logo afianço se gosto e ficamos amigas para sempre ou se vai cada uma à sua vida sem ressentimentos. 

6 comentários

Comentar post