Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Estado com Graça #2

Como contar às pessoas

 

Quando soube que estava grávida, decidi não contar a muita gente, pelo menos antes das 12 semanas. Porém, sou pessoa que não gosta de guardar as coisas boas só para si e aprecio mesmo partilhar boas noticias com aqueles que me são chegados.

 

Uma vez mostrado o teste ao homem (que quase sufocava com um engasgamento matinal. Foi bonito. E romântico.), pu-lo a par das minhas intenções:

 

- Não vamos desatar a contar a toda a gente. 'Táz aubir ? - Digo-lhe eu de dedo em riste, não fosse ele não estar a perceber muito bem.

- 'Tá bem. Vou só contar aos meus pais, pode ser?

- Pode. E depois eu vou contar a um grupo restrito de pessoas chegadas. E mais nada! - o homem revirou os olhos e remoeu qualquer como "Estou para ver isso..."

 

Pois, o que eu não tenho culpa é de ter um grupo-restrito-de-pessoas-chegadas assim, pronto, um bocadinho grande.

Eu não podia escolher a qual das primas-irmãs contar. Ou a qual das melhores amigas. Não podia, estão todos no mesmo sítio, ocupam todos o mesmo espaço no meu coraçãozinho. =)

 

Assim sendo, comecei por uma das melhores amigas (e madrinha do texugo):

 

- 'Tou L, olha era só para confirmar o que o texuguinho - o dela - precisa para folar de Páscoa, e aproveitar para te perguntar como queres fazer em relação ao teu afilhado: escolhes tu ou preferes que te diga se nos faz falta alguma coisa?

 

(segundos de silêncio)

 

- Qual afilhado?!

- O mais novo...

 

(Mais segundos de silêncio)

 

- Não estou a perceber nada... Mas qual afilhado? Eu só tenho, e é de lá de cima e tu não tens nada haver com ele...

- O de cá de baixo...

 

(Mais segundos de silêncio e A notícia)

 

- Ó mulher, fiz o teste de manhã e deu positivo!

 

Seguiram-se os parabéns, a histeria e conversa pirosa sobre o assunto.

 

A uma das primas-irmãs (e que vai aturar o puto algumas vezes, sobretudo quando a mãe já não puder com ele):

 

- Estou T, tudo bem? Olha sempre vais estar livre nos sábados do próximo ano?

- Hã? Porquê?

- Se vais estar livre aos sábados no próximo ano...

- Estás grávida?

 

Histeria e felicitações.

 

À outra melhor amiga, aproveitando o facto de o marido fazer anos nesse mês e fazendo-se, assim como quem não a coisa, ao bife para uma fatia de bolo:

 

- 'Tou E, olha é que eu ando às compras - mentira, estava alapada no sofá - e precisava de saber se há alguma coisa que faça falta ao R...

- Oh, não sei, muito bem... Compra-lhe assim qualquer coisa, tipo uma camisola... Ele gosta sempre...

 

Oh que carago, vou ter que me fazer de convidada... Que chatice!

 

- Olha, eu não sei se vais fazer alguma coisa no aniversário dele... - fiquei a meio.

- Ah, pois... Nós também ainda não sabemos muito bem o que vamos fazer... 

- Pois, olha eu não quero fazer-me de convidada - que ideia! - mas, achas que se formos, em vez de dois, podemos ir três?

 

(Segundos de silêncio)

 

- Três?! Mas três como?! - detectei-lhe algum pânico na voz. Aposto que por momentos pensou que fosse levar o cão.

- Três. Eu, o F e mais outro. Três.

 

(Mais segundos de silêncio. O pessoal gosta de suspense)

- Não...

- Sim...

 

Ainda ficamos ali no não e no sim mais um bocadinho, até desatarmos a rir.

 

 

À outra prima-irmã mais velha, que deveria ter ganho a medalha de "descoberta mais rápida"

 

- 'Tou V., olha precisava de pedir um favor ao teu homem: achas que sempre me pode pintar o berço de branco?

- Sim, acho que sim. Vou falar com ele e logo te digo.

- Sim, mas eu precisava dele lá para o fim do ano...

- Sim e eu vou falar com ele. Agora vem aí o bom tempo e de certeza que te faz isso...

 

Aqui fui a lerda...

 

- Sim V, mas eu vou precisar do berço... - a enfatizar as palavras precisar e berço.

- Sim A, e eu já percebi que estás grávida!

 

Caraças, foi a única a quem não consegui ouvir o "click" mental à noticia! Deve ter haver com a profissão... =)

 

À cunhada:

 

- 'Tou S., olha tenho uma coisa para te contar.

- Diz-me!- a cunhada adooora futriquice.

- Mas não podes contar a ninguém.

- Está bem, está bem... Mas diz-me lá!

- A ninguém mesmo! Ninguém pode saber!

- Não me digas...

- Ai digo, digo...

 

Adoro conversas tácitas! :-)

 

Como vêem, é um grupo restrito-de-pessoas-chegadas. Ainda faltam duas, a M e a H.

À M, pedi uma coisas que sempre me disse que emprestava quando chegasse a minha vez. Chegou logo lá.

À H., enviei sms a dar parabéns,por ir ser, outra vez, tia. Também foi de raciocínio rápido! =)

 

Ao mundo, arranjei uma imagem alusiva ao tema e coloquei no facebook.

 

Depois é fui divulgando!

Não gosto de dizer logo, caso a pessoa não repare. Acho um bocadinho egocêntrico falar assim sobre a nossa pessoa.

Como normalmente, ninguém resiste ao "Então e filhos?", espero por essa pergunta para responder:

 

- Lá para dezembro já deve estar cá fora!

 

É ficar a admirar os pontos de interrogação que se formam acima das suas cabeças e que desaparecem à medida que vão apreendendo a informação!

 

 

E vocês? Contaram assim à descarada ou fizeram algum suspense sobre o assunto? Contem tudo!

4 comentários

Comentar post