Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Atletas Anónimos - o Nuno

Nuno5_edit.jpg

 

 

 

Cumprimenta-nos sempre com um "cá mais cinco!", trata-nos por atletas e devolve-nos sempre o sorriso à saída. Não se deixem enganar pelo ar simpático, duas de letra, meia dúzia de abdominais e uns agachamentos e encosta-nos às boxes em três tempos. 

Está sempre disponível para ajudar, tem uma imaginação do caraças para elaborar os desafios semanais e dá treino personalizado. 

Hoje, no tasco, o Nuno. Professor no ginásio que frequento e que tantas voltas me dá à cabeça com o quadro dos desafios. (E eu a dar uma de Daniel Oliveira, hã? :D)

 

 

 

 

 

Nuno, jovem, larga aí o bosu e senta-te aqui comigo. Conta-me cá: já te dedicas há muito tempo ao desporto?

 

Desde miúdo que gostei sempre de praticar desporto. As brincadeiras passavam também muito por jogos em que a actividade física estava inerente. O primeiro foi natação, para aprender a nadar, depois passei pelo hóquei, futebol, atletismo...

 

E sempre soubeste que querias fazer disto vida ou foi algo que foi surgindo?

 

Sempre gostei de Deporto, mas não achava que ia fazer disto vida... Durante o secundário tive muitas dúvidas, porque também era bom com os números, mas depois decidi que era "ensinar desporto" que queria. E tirei a licenciatura em Desporto e Mestrado em Ensino da Educação física.

 

Nós, alunos, dizemos que vocês são do demo, que saíram dos confins dos infernos só para nos fazer sofrer... Mas, não é bem assim. Também há o outro lado. Fala me um bocadinho dele, qual é, para ti, a parte mais difícil de ensinar desporto?

 

Ahahaha nós não temos prazer em fazer "sofrer" ninguém, mas para um bom despendido energético e para atingir alguns objectivos temos de nos esforçar, assim como fazemos para outras coisas.

Como deves ter percebido, a minha principal formação não foi em Fitness, mas sim em ensino. Só há dois anos decidi que iria ter mais oportunidades nesta área e tirei uma formação em treino funcional para PT.

Respondendo mais precisamente à tua questão: o mais difícil de ensinar é perceber que tipo de pessoas temos à nossa frente para sabermos a melhor forma de incutir o conhecimento ou movimento.

 

O que mais te irrita enquanto professor durante um treino? 

 

Como é uma coisa que adoro, pouca coisa me irrita... Mas talvez o facto da pessoa não querer aprender.

 

E o não perceber o exercício de todo? O ter de explicar uma e outra vez? (Como tanta vez acontece...)

 

Não me irrita minimamente... Todos nós temos os nossos handicaps, e nem todos fomos feitos para ser atletas. Se tiver que explicar várias vezes e de várias formas não terei problemas com isso.

 

Há bocado mencionaste que a tua área é o ensino e não o fitness. Afinal, o que diferencia a educação física do fitness? Não me digas que o fitness é mais duro... A aulas de educação física também eram tramadas. 

 

A educação física foi criada para se ensinar principalmente nas escolas às crianças. São abordados vários desportos colectivos e individuais

Enquanto que o Fitness é uma forma de as pessoas poderem fazer actividade física de uma forma mais prática e eficaz para os seus objectivos... Ambas têm como principal objectivo a promoção dos hábitos de vida saudável

 

Enquanto PT, tens uma trabalho mais meticuloso do que, por exemplo, um professor de aulas de grupo. Ou não?

 

Sim e não...

Usando a palavra que usaste, um professor de aulas de grupo tem de ser mais "meticuloso" com a sua execução (a sua própria performance) enquanto que um PT tem de ser mais exigente com a execução do seu aluno.

Respondendo à segunda pergunta, um treino personalizado é realizado com base nas patologias e objectivos dos alunos, em que o PT consegue que a pessoa faça com maior rigor e intensidade... Mas não é só este treino que faz toda a diferença.

 

Nuno6_edit.jpg

 

Então? Já sei, já sei... Vais falar em calorias, certo? 

 

 Não, não! Não tem nada a haver com isso...

O trabalho de um bom PT é muito mais do que dar um bom treino.

Para eu ter a certeza que o meu cliente vai atingir o seu objectivo, preciso de saber se anda a comer bem, se faz a aula de grupo devia fazer, se faz o trabalho complementar na sala de musculação, se anda a descansar o que deve... Se não conseguir controlar estas coisas, quase de certeza que não conseguirá chegar onde quer.

Por exemplo, ainda hoje liguei a um cliente que faltou a uma aula de grupo que lhe tinha recomendado, para saber se estava tudo bem e quando vai compensar isso.

Preciso também de saber se a pessoa está bem. Se andar deprimida ou com algum problema, pode não render no treino e descarregar na comida.

 

Portanto, o trabalho de PT é um complemento, é isso?

 

O trabalho ou o treino de PT?

 

Estou confusa... Não é a mesma coisa? O trabalho e o treino de PT?

 

O treino de PT é aquilo que toda a gente gente vê... Mas com um cliente eu tenho mais "trabalho" do que esse treino. Tenho de controlar toda a semana dele no que diz respeito a hábitos de vida saudável. Ex: se faz as refeições que deve, se descansa as horas devidas, a mudança constante de plano de treino se treinar na sala sozinho, saber sempre se o cliente fica com alguma dor que não é normal, saber se o cliente está com algum problema, porque se tiver vai começar a faltar aos treinos, vai desmotivar, vai facilitar na comida.... Traço também planos de treino quando alguns clientes vão de férias ou eu vou de férias...

 

Portanto, esse treino, com PT, é um complemento ao restante... 

 

Não diria um completo, mas sim uma parte do trabalho semanal que só fará sentido se tudo o resto que te falei funcionar.

 

Imagino que, enquanto PT, tenhas de lidar várias vezes com a frustração. O não conseguir determinado objectivo ou a execução de um exercício. De que forma tentas ajudar a contorna-las?

Cada pessoa tem as suas particularidades e não funcionamos todos da mesma forma. Daí nem sempre os resultados são os mais esperados. Quando isso ocorre, preciso de rapidamente encontrar o problema e uma solução para não fugir das metas traçadas inicialmente.

 

Trabalhas nisto há um tempinho, lidas com muita gente... Há alguma situação peculiar que te tenha marcado?

 

Todos os clientes me marcaram, porque acabo por entrar na vida deles... Mas existiram algumas situações mais peculiares. Posso te dar dois exemplos:

- Tive um senhor, noutro ginásio, com os seus 70 anos, que tem um tumor na cabeça e tem de estar sempre vigiado. Era um pouco sisudo e durante um treino confessou-me que tinha saudades de jogar squash.... Fui para casa a pensar naquilo. No treino seguinte, montei um campo de squash numa sala de aula de grupo e levei raquetes para jogar. Nunca tinha visto o senhor a sorrir tanto! E sempre que passava por mim sorria dessa forma porque se lembrava dessa hora. Ainda hoje tenho o vídeo desse treino.

- Houve uma outra senhora que descobri não saber andar de bicicleta e não descansei enquanto não a ensinei...

E depois há várias outras pessoas, que têm várias patologias e tenho de ter muita atenção à prescrição e correcção dos exercícios.

 

nuno4_edit.jpg

 

 

Já deu para perceber que gostas mesmo do que fazes, Nuno. Se pudesses descrever o teu trabalho (ou o desporto, se preferires) numa só palavra, qual usarias?

 

Sonhos... Uma das pessoas responsáveis pela minha formação, disse-me uma vez que uma das nossas funções é realizar sonhos. E por vezes sinto que faço isso.

 

De certeza que sim Nuno! E aposto que marcas todos aqueles que contigo se cruzaram. Quase - mas só quase - que me conseguiste convencer a marcar um treino contigo. Felizmente que ainda tenho algum juízo. :P