Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Atletas Anónimos - A Paula

Mais uma compincha de ginásio: a Paula. Além da persistência e perservança perante o mais demoniaco dos exercicios (e não, não é exagero, já levei várias abadas dela), a Paula tem um ótimo sentido de humor. Ora atentem: 

 

Fiz a minha inscrição em setembro de 2016. iniciei em outubro de 2016 com toda a vontade e mais alguma, para começar a ver os tão esperados resultados, (esperados resultados no meu íntimo), ser capaz de caminhar além dos 10 ou 20 passos habituais à saída ou entrada do meu carro, poder reduzir significativamente o espaço que ocupo, em todas - repito - todas as situações: nas cadeiras, nos elevadores quase lotados, nos minúsculos duches, nas sanitas, no banco de trás dos carros mais pequenos e nos bancos da frente também... Essencialmente, não voltar a passar pela humilhação pública de vir com a cadeira agarrada ao traseiro nos centros comerciais quando me levantava. Melhorar a minha saúde física (depois dos últimos resultados das análises clínicas, foi-me dito que eu era uma bomba relógio) e melhorar a minha saúde mental (escapar do isolamento social e aumentar a minha auto-estima).

 

Uau Paula, isto é que é uma apresentação e pêras! Porque decidiste começar a mexer as perninhas? 

Para melhorar a saúde física e psicológica.

E como está a correr a coisa? 

 

Vai muito devagar, o que eu gostava mesmo era alcançar o meu objetivo com a rapidez de um estalar de dedos.

Como conseguiste, e vais conseguindo, manter o ginásio na tua rotina diária? 

 

 Percebi que há sempre um momento em que é possível mudar a minha rotina e comecei com a minha hora de almoço. A verdade é que, para me alimentar bastava uns 10/15 minutos ficando portanto com muito tempo de sobra, podia por isso fazer uma melhor escolha para a ocupar.

Sempre gostaste de exercício? Ou nem por isso?

 

Ao contrario, achava uma perda de tempo, uma "frescura" para quem praticava desporto, uma parvoíce, tanto cansaço quando o cansaço já existia por si só. Comecei a gostar (muito). Depois da terceira ou quarta ida, quando percebi que caminhar no tapete durante 20 minutos à velocidade quatro, (tão difícil e com tanta dor nos gémeos a que eu chamava barriga das pernas), não era algo de outro mundo, até já me sentia capaz de caminhar à velocidade 5.5 agarrada ao apoio da máquina e com as idas assíduas já dava para perceber que cada vez conseguia mais um bocadinho. Aí estava a minha motivação e vontade de ir ao ginásio!

Fala-nos um bocadinho desta tua experiência. Mas conta tudo, não escondas nada! :D

devo falar num ponto muito importante (que estava ainda por dizer): o facto de ter conseguido ir sem "medo" de estar a ser observada e criticada, consegui estar à vontade, focando toda a minha energia no que seria capaz de fazer ao invés daquela minha insegurança que se apresentava em todas as outras tentativas. A meta a atingir neste momento é conseguir correr uns 100 km seguidos até me achar capaz de acompanhar Usain Bolt num dia bom. A minha maior dificuldade é talvez manter um ritmo constante de corrida durante um período alargado, estou certa que vou conseguir. Tinha uma vida muito sedentária quase nem caminhava ia de carro para todo o lado mesmo para distâncias mínimas (100/200 metros) raramente dava "uso às pernas" não me aventurava a saídas se houvesse necessidade de caminhar, com medo de não ser capaz. Sentia-me mal quando tentava. Até que se fez " luz" e resolvi que tinha, mesmo que alterar o meu estilo de vida, tinha mesmo que pensar em corrigir o mal que tinha feito a mim mesma nestes últimos/ muitos anos e foi esse mesmo impulso, um desejo muito forte, que me fez querer mudar para me sentir melhor, mais saudável e muito mais feliz. Quanto à melhoria que o exercício fez à minha vida. Este percurso de quatro meses no ginásio, foi um prémio à minha determinação. O sentir-me capaz de subir alguns degraus sem ter que parar para me recompor e recuperar o fôlego, ou caminhar lado a lado dos meus amores sem haver a necessidade de os fazer esperar que eu recuperasse a cada meia dúzia de passos dados, o sentir-me mais leve, mais ágil, mais saudável, mais segura e mais feliz, tudo isso é tão gratificante e motivador que me fez querer continuar e conseguir mais e mais, com muita "sede". A verdade é que é preciso essa força de vontade para podermos apreciar e tirar partido do nosso esforço.

Imagina agora que do outro lado do ecrã tens uma pessoa pachorrenta, tipo eu, que está a ler isto enquanto emborca um pacote de batatas fritas bué gordurosas. Como a tentarias incentivar a ir contigo ao ginásio?

 

Digo o que me foi dito pelas pessoas que me amam e pelas pessoas que gostam de mim durante anos: -" Faz desporto". Agora sim, ouvi essas palavrinhas e sinto-me muito MAIS feliz.

 

Obrigada Paula, por este bocadinho. Uma grande beijoca e fico à espera do poster autografado! :D