Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

As alegrias da maternidade

Dizem frequentemente que ter um bebé é sinónimo de ter uma casa cheia.

É a mais pura das verdades.Tenho, efectivamente, a casa cheia: brinquedos no chão da sala (sim, sim, é só um bebé de três meses e meio, não estarás a exagerar? Não pessoas, não estou. O que raio acham que é um ginásio?!); fraldas de pano em tudo quanto é divisão (nunca se sabe onde pequena pessoa regurgitará a refeição); a bomba e os sacos de conservação de leite são o último adorno da minha mesa de cabeceira, juntando-se aos toalhetes e à meia dúzia de fraldas que lá moram.

 No quarto do pequeno, arrumadinho a um canto, há todo um conjunto de fraldas, em jeito de stock de bazar, assim como de toalhetes, que não queremos que lhe falte nada.

O seu bólide também é digno de nota, assim como aquela pequena prateleira que lhe vem agregada, onde estão - pasmem-se! - mais brinquedos, uma manta e - pasmem-se outra vez! - uma fralda de pano.

O redutor e o seu pato de borracha já têm lugar guardado na casa de banho, assim como a sua mala (enooooorme!) e casaco marcam presença no cabide.

O seu leitinho já ocupa quase uma gaveta congeladora e a sua roupa suja cresce como cogumelos, tal como as suas fraldas imundas.

Posto isto, sim, ter um bebé é ter uma casa cheia... De (mais) tralha!

 Já se sabe que não vale a pena reclamar, ao que parece que vem tudo incluído no pacote e não há volta a dar. É aguentar, lavar, limpar, guardar e arrumar!