Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

A Última Paragem


Amo-te.
Desculpa.
Foi uma honra conhecer-te.
Passamos bons momentos juntos.
Não estás sozinho.
Estive, estou e estarei aqui.
Obrigada por tudo.
Frases simpes, palavras claras, mas de extrema importância, quando a corda que nos liga ao mundo, estiver por um fio, ele próprio prestes a quebrar.
Não, estes vocábulos não nos tirarão as dores ou o desconforto, mas irão certamente aquecer-nos o coração. Poderemos partir em paz, com tranquilidade, pois dissemos o que deveria ser dito e escutamos o que nos queriam transmitir. Poderemos, enfim, descansar.
Dizem que, na espera da morte, a vida passa pela retina tal qual uma projecção de slides. Será verdade? Bem, o que é certo, é que nunca ninguém volta para nos contar como foi, como é, ou como será a nossa última experiência enquanto humanos. Mas, que um moribundo tem muito tempo para pensar, lá isso tem. Tal como o prestador de cuidados, quem lida com o doente, os seus amigos e familiares mais próximos, devem guardar um pouco do seu sumitico tempo a meditar no que fizeram, no que disseram, no que poderão ainda fazer ou dizer, para confortar a pessoa em questão.
Poderemos, enquanto moribundos, ou cuidadores, ter uma atitude de auto-comiseração, de frustração, de negação ou, simplesmente, de burrice - perdoem-me, sei que é uma palavra menos bonita, mas aplica-se bem no contexto - ao encararmos a morte como um bicho papão, que nos irá assaltar pelo anoitecer, como uma derrota.
Se iremos sentir medo? A toda a hora. Se teremos dúvidas? Não, teremos incógnitas que nunca serão respondidas. Porém, não devemos encarar o fim de vida como uma derrota. Se será doloroso? Claro que sim, somos humanos, somos feitos para criar laços com os que nos rodeiam, seria preciso ser totalmente desprovido de sentimentos, para ficar impávidos e serenos neste momento, mas ninguém é eterno, todos sabemos isso e mais cedo ou mais tarde iremos deparar-nos com uma situação deste género, seja a de algum familiar, conhecido, até que, inevitavelmente, chegará o nosso momento.
Pensem bem, quer numa posição, quer noutra, no que gostariam de ver remediado, podem sempre ouvir (ou dizer):" És uma besta, mas eu perdoo-te.", ou simplesmente, "Perdoo-te." "Obrigada."
Que raio estou eu para aqui a escrever? Somos demasiado novos, não nos devemos preocupar com este tipo de questões, mas creio que podemos dispôr de um bocadinho do nosso tempo a refletir sobre ele, podemos, devemos, fazer o nosso melhor, todos os dias, porque um dia será mesmo o último.
Claro, isto digo eu, que não percebo nada do assunto... ;-)
Se alguém, desse lado do ecrã, estiver numa situação destas, não está sozinho. Procure ajuda, apoio fisico e emocional, informação. Deixo links que poderão ser úteis. Escute, seja escutado. Seja útil, mas deixe que sejam úteis consigo. Lembre-se: os super-heróis existem somente no imaginário de cada um.
Não deixem, nunca, que a vida vos passe ao lado.
Porém, quando a morte vos bloquear o caminho, não lhe virem as costas, não a enterrem no fundo do poço  para não olharem para ela, não lhe passem ao lado. Façam-lhe frente, lutem contra ela enquanto poderem, enquanto tiverem forças para tal, no entanto quando não conseguirem adiá-la mais, deêm-lhe a mão, tal como deram à vida, não com resignação, mas com a dignidade de quem sabe que a última paragem da vida chegou.
Até ao próximo post.


Nota: Este é somente um artigo de OPINIÃO, não devendo ser tiradas quaisquer conclusões, ou sugestões sobre este assunto. Seguem abaixo os links que mencionei. Espero que sejam úteis alguém. A mim foram-me bastante úteis.

http://www.apcp.com.pt/ - Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos
http://www.umcci.min-saude.pt/Paginas/Default.aspx - Cuidados Continuados Saúde e Apoio Social
http://www.amara.pt/ - Associação pela Dignidade na Vida e na Morte.